Podcasts de história

14 de outubro de 1939

14 de outubro de 1939

14 de outubro de 1939

Outubro de 1939

1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
> Novembro

Guerra no mar

Submarino alemão U-45 afundado com todas as mãos ao sudoeste da Irlanda

HMS Royal Oak afundado por U-47 dentro do ancoradouro em Scala Flow.



Hoje na História da Segunda Guerra Mundial - 14 de outubro de 1939 e # 038 de 1944

80 anos atrás - 14 de outubro de 1939: Em um ataque ousado à base naval da Grã-Bretanha em Scapa Flow, submarino alemão U-47 afunda o encouraçado britânico HMS Royal Oak 833 mortos.

Marechal de campo Erwin Rommel, Comandante das forças alemãs no Norte da África, com seus assessores durante a campanha no deserto, 1942 (Arquivo Federal Alemão: Bild 101I-785-0287-08)

75 anos atrás — outubro. 14, 1944: O marechal alemão Erwin Rommel, suspeito do plano de assassinato de Hitler em 20 de julho, comete suicídio para proteger sua família.

A resistência grega e as tropas britânicas protegem Atenas, Grécia.

Ann Baumgartner se torna a primeira Vespa a voar em um avião a jato experimental.


Einstein e os primeiros anos de vida (1879-1904)

Nascido em 14 de março de 1879, na cidade de Ulm, no sul da Alemanha, Albert Einstein cresceu em uma família judia de classe média em Munique. Quando criança, Einstein ficou fascinado por música (ele tocava violino), matemática e ciências. Ele abandonou a escola em 1894 e mudou-se para a Suíça, onde retomou seus estudos e mais tarde foi admitido no Instituto Politécnico Federal Suíço em Zurique. Em 1896, ele renunciou à cidadania alemã e permaneceu oficialmente apátrida antes de se tornar cidadão suíço em 1901.

Você sabia? Quase imediatamente depois que Albert Einstein soube do uso da bomba atômica no Japão, ele se tornou um defensor do desarmamento nuclear. Ele formou o Comitê de Emergência de Cientistas Atômicos e apoiou o cientista do Projeto Manhattan J. Robert Oppenheimer em sua oposição à bomba de hidrogênio.

Enquanto estava na Politécnica de Zurique, Einstein se apaixonou por sua colega Mileva Maric, mas seus pais se opuseram à união e ele não tinha dinheiro para se casar. O casal teve uma filha ilegítima, Lieserl, nascida no início de 1902, da qual pouco se sabe. Depois de encontrar uma posição como escriturário no escritório de patentes suíço em Berna, Einstein casou-se com Maric em 1903 e eles teriam mais dois filhos, Hans Albert (nascido em 1904) e Eduard (nascido em 1910).


14 de outubro de 2020 - The Heisman Showdown that Fizzled em 1939

(Nota & # 8211 Tom Harmon (# 98) colocou-se na tela do radar do Troféu Heisman com um jogo excelente contra Iowa em 1939. Ele é mostrado acima em um jogo contra o estado de Michigan em 1938. Observe que ambas as equipes estão usando sua própria versão de um capacete & # 8220 com asas & # 8221. Foto cortesia da Bentley Historical Library da Universidade de Michigan.)

Parte I. Uma retrospectiva do futebol americano de Michigan e do primeiro confronto de Heisman # 8217s

Michigan Football em 1939

Primeiro, foi o segundo ano da Era Fritz Crisler em Michigan e as expectativas eram altas para os Wolverines de Crisler. Michigan registrou um excelente recorde de 6 vitórias, 1 derrota e 1 empate no primeiro ano de Crisler. Seu recorde de 3-1-1 em jogos de conferência foi bom o suficiente para um empate em segundo lugar. No entanto, o segundo lugar geralmente não é bom o suficiente em Michigan. Os fãs de Wolverine esperavam que o Time # 60 ganhasse seu primeiro Big Ten Championship desde 1933.

Em segundo lugar, este foi também o quarto ano do sistema de classificação do futebol americano universitário da Associated Press. Depois de ser desclassificado em 1936 e 1937, Michigan terminou a temporada na décima sexta posição em 1938. No entanto, nem Michigan nem Iowa seriam classificados antes de seu confronto em 14 de outubro de 1939.

Terceiro, outra inovação relativamente nova no futebol universitário foi a votação do Troféu Heisman pelos redatores esportivos do país. Era muito cedo para realmente saber quem eram os favoritos em 1939, mas o jogo em Ann Arbor no dia 14 de outubro daria aos fãs e jornalistas esportivos uma olhada em dois jogadores muito bons.

Um jogo de conferência realmente grande e um confronto inicial de Heisman

Nile Kinnick, vindo de uma temporada júnior cheia de lesões em 1938, era um zagueiro versátil que podia fazer tudo no campo de futebol. Ele poderia correr e passar. Kinnick também pontuou e chutou pontos extras e gols de campo para os Hawkeyes. Junior Tom Harmon teve uma excelente temporada de segundo ano e todos em Ann Arbor estavam esperando grandes coisas do versátil Harmon. Como Kinnick, Harmon podia correr e passar. Ele também foi escalado para lidar com as tarefas de punting e placekicking para os Wolverines em 1939. Sim, Kinnick e Harmon eram jogadores excelentes que estavam prontos para o Heisman Showdown. Ambas as equipes estavam invictas entrando no jogo no Michigan Stadium Iowa por 2-0-0 e Michigan por 1-0-0.

Um Heisman Esperançoso Brilhou, o Outro, Não Tanto

Sábado, 14 de outubro de 1939 foi um dia claro e seco em Ann Arbor. Foi quase um dia de outono perfeito e certamente um grande dia para um confronto final de Heisman. As coisas começaram muito bem para Kinnick e seus Hawkeyes quando ele acertou um passe para touchdown de 71 jardas para Floyd Dean. Kinnick fez o ponto após touchdown. Iowa estava com uma pontuação de 7-0. Infelizmente para Iowa e Kinnick isso foi tão bom quanto as coisas poderiam estar naquele dia.

No final do primeiro trimestre, Nile Kinnick atrapalhou um punt de Michigan e os Wolverines estavam no negócio. Harmon marcou algumas jogadas depois em uma corrida de 2 jardas e chutou o ponto extra. Sim, o placar estava empatado (7-7), assim como o confronto final de Heisman. No entanto, as coisas mudaram quando Harmon assumiu no segundo trimestre. Ele correu para mais dois touchdowns (2 jardas e 8 jardas) e fez outro ponto extra. O segundo touchdown foi configurado quando Michigan bloqueou o chute de Kinnick. Michigan entrou no vestiário no intervalo do quarto com uma vantagem de 20-7.

Harmon terminou a pontuação quando interceptou um passe de Kinnick no território de Michigan. Ele foi 95 jardas até a end zone para uma pick-seis! Essa interceptação recorde ainda é a mais longa na história do futebol americano de Michigan - uau! Harmon chutou o ponto extra e o placar agora era 27-7.

Tom Harmon consegue um passe de Nile Kinnick em Michigan & # 8217s 27-7 vitória sobre os Hawkeyes!

Nenhum dos times marcou no quarto período e o jogo terminou em favor de Michigan. Pontuação final: Michigan / Harmon 27 Iowa / Kinnick 7. Estou certo de que este é o primeiro e único jogo na história do futebol americano de Michigan em que um jogador de cada equipe marcou todos os pontos de sua equipe.

Algumas coisas mais interessantes sobre o confronto de Heisman em 1939

Havia mais duas coisas incríveis sobre este jogo. Primeiro, apenas cerca de 28 mil fãs viram o jogo que apresentou os dois candidatos ao Troféu Heisman de Iowa e Michigan. Foi facilmente a menor torcida da temporada de 1939. Em segundo lugar, provavelmente não havia dúvida de quem foi o melhor jogador em campo naquele dia. Até mesmo os fãs de Iowa deveriam saber que Thomas Dudley Harmon acabara de jogar o jogo de sua vida! Tom Harmon fez isso o dia todo. Ele correu dezoito vezes por cento e doze metros. Ele correu para três touchdowns e chutou três pontos extras. Ele interceptou dois passes de Kinnick e retornou um para um touchdown que estabeleceu o recorde. Então, o júnior superou o mais velho, mas aos olhos dos eleitores de Heisman, era apenas um jogo. E, como era de se esperar, os idosos eram importantes para os primeiros eleitores de Heisman.

O resto da temporada de 1939

Michigan terminou a temporada com um recorde de 6 vitórias e 2 derrotas. Ambas as derrotas ocorreram em jogos consecutivos contra Illinois e Minnesota. Assim, Michigan encerrou o jogo Big Ten com um recorde de 3 vitórias e 2 derrotas, o que só foi bom o suficiente para o quarto lugar.

Iowa não perdeu outro jogo depois de deixar Ann Arbor, mas terminou a temporada com um empate por 7-7 contra o Northwestern. O Hawkeyes terminou a temporada com um recorde final de 6 vitórias, 1 derrota e 1 empate. Eles terminaram com um recorde de conferência de 4 vitórias, 1 derrota e 1 empate, o que foi bom o suficiente para o segundo lugar.

Nile Kinninck se recuperou do jogo em Michigan e teve uma temporada espetacular. Seu jogo estelar foi reconhecido pelos redatores esportivos votantes de Heisman da América. Ele recebeu 31% dos votos de Heisman e foi a Nova York para pegar seu troféu. Além de ser o quinto homem a ganhar o Troféu Heisman, Kinnick ganhou todos os prêmios importantes do futebol universitário naquele ano. Ele também foi um All-American, All-Big Ten e o Jogador Mais Valioso do Big Ten na temporada de 1939.

Nile Kinnick ganhou o Troféu Heisman em 1939. Foto cortesia do Departamento Atlético da Universidade de Iowa.

Junior Tom Harmon não teve uma temporada ruim, mas ele terminou em segundo lugar para Kinnick na votação de Heisman e na votação de MVP dos Dez Grandes. Como Kinnick, Harmon era um All-American e também recebeu All-Big Honors. Tom Harmon liderou a América, e a Big Ten Conference, em pontuação e foi um artista estelar para os Wolverines em quase todos os jogos. Illinois e Minnesota descobriram uma maneira de impedi-lo e ao resto do crime em Michigan. Então, isso provavelmente não ajudou o Heisman de Harmon a retomar em 1939.

Harmon brilhou novamente em 1940

No final, Harmon deixou seu melhor para o final. Ele teve um ano espetacular no último ano em 1940. Ele recebeu 51% dos votos de Heisman naquele ano e se tornou o sexto homem (o primeiro Wolverine) a ganhar o Troféu Heisman. Tom Harmon certamente era bom o suficiente para ganhar o Troféu Heisman como um júnior, mas não era para ser. Teria sido muito bom se ele fosse o primeiro vencedor por duas vezes e não um buckeye! ECA!

Infelizmente, Nile Kinnick, um piloto da Marinha, perdeu a vida a serviço de seu país em 2 de junho de 1943. Ele tinha apenas 24 anos. Tom Harmon também foi piloto durante a Segunda Guerra Mundial. Harmon sobreviveu a dois acidentes de avião e viveu uma vida longa e bem-sucedida.

Então, foi isso que aconteceu quando dois futuros vencedores do Troféu Heisman se encontraram em campo em 1939. Ambos eram grandes jogadores. Cada um deles fez coisas incríveis no campo de futebol e deixou um legado de excelência para os futuros Hawkeyes e Wolverines emular. Que Nile Kinnick e Tom Harmon sempre descansem em paz.

Para ler mais sobre esses dois lendários jogadores de futebol e as temporadas de 1939 em Iowa e Michigan, verifique os links abaixo.


Trabalho de tela: & aposO Grande Gatsby & apos e & aposAnnie Hall & apos

Durante a década de 1970, Lauren fez sua incursão no mundo do cinema também, consolidando ainda mais seu status como um designer americano clássico ao equipar membros do elenco para a adaptação cinematográfica de 1974 de O Grande Gatsby, estrelado por Robert Redford e Mia Farrow. Lauren também recebeu crédito por ajudar a equipar o elenco de 1975 The Wild Party, outra excursão do início do século 20 estrelada por James Coco e & # xA0Raquel Welch. O designer então & # xA0 tornou-se conhecido pelos looks bastante distintos de Diane Keaton na comédia de 1977 & # xA0Annie Hall. & # xA0

Décadas depois, Lauren ficaria encantada com um programa que reflete de todo o coração sua visão particular, a série da PBS & # xA0Abadia de Downton. Posteriormente, ele criou uma coleção de outono inspirada no programa e patrocinou sua última temporada em 2016.


The Daily Sun (Goose Creek, Texas), Vol. 21, No. 95, Ed. 1 Sábado, 14 de outubro de 1939

Jornal diário de Goose Creek, Texas, que inclui notícias locais, estaduais e nacionais, juntamente com publicidade.

Descrição física

oito páginas: mal. página 18 x 13 pol. Digitalizado a partir de 35 mm. microfilme.

Informação de Criação

Contexto

Esse jornal faz parte da coleção intitulada: The Baytown Sun e foi cedida pela Biblioteca Municipal Sterling ao Portal para a História do Texas, um repositório digital hospedado pelas Bibliotecas da UNT. Já foi visto 15 vezes. Mais informações sobre este assunto podem ser vistas abaixo.

Pessoas e organizações associadas à criação deste jornal ou ao seu conteúdo.

Editor

Editoras

Audiências

Confira nosso site de recursos para educadores! Nós identificamos isso jornal como um fonte primária dentro de nossas coleções. Pesquisadores, educadores e alunos podem achar este assunto útil em seu trabalho.

Fornecido por

Biblioteca Municipal Sterling

O primeiro prédio da biblioteca na área de Baytown foi uma filial da Biblioteca do Condado de Harris, inaugurada em 1925. O serviço de biblioteca pública financiado pelo município começou com a inauguração da Biblioteca Municipal de Sterling em 1963. O nome homenageia Ross Sterling por sua visão e compromisso com o impresso palavra.

Entre em contato conosco

Informações descritivas para ajudar a identificar este jornal. Siga os links abaixo para encontrar itens semelhantes no Portal.

Títulos

  • Título principal: The Daily Sun (Goose Creek, Texas), Vol. 21, No. 95, Ed. 1 Sábado, 14 de outubro de 1939
  • Título de série:The Daily Sun

Descrição

Jornal diário de Goose Creek, Texas, que inclui notícias locais, estaduais e nacionais, juntamente com publicidade.

Descrição física

oito páginas: mal. página 18 x 13 pol. Digitalizado a partir de 35 mm. microfilme.

Assuntos

Palavra-chave

Títulos de assuntos da Biblioteca do Congresso

Estrutura de navegação das bibliotecas da University of North Texas

Língua

Tipo de item

Identificador

Números de identificação exclusivos para este problema no Portal ou em outros sistemas.

  • Número de controle da Biblioteca do Congresso: sn86089166
  • OCLC: 14249654 | link externo
  • Chave de recurso de arquivo: ark: / 67531 / metapth1100648

Informação de Publicação

  • Volume: 21
  • Edição: 95
  • Edição: 1

Coleções

Este problema faz parte das seguintes coleções de materiais relacionados.

The Baytown Sun

Os jornais têm servido a área de Baytown desde 1919, quando o Goose Creek Gasser foi fundado. Em 1924, o Gasser tornou-se o Goose Creek Tribune, publicando duas vezes por semana, e em 1928 - o Daily Tribune. Com a Grande Depressão, vários jornais da área se fundiram e, em 1931, o primeiro Tri-Cities Sun foi publicado.

Programa de jornal digital do Texas

O Texas Digital Newspaper Program (TDNP) tem parceria com comunidades, editoras e instituições para promover a digitalização baseada em padrões de jornais do Texas e torná-los acessíveis gratuitamente.


14 de outubro de 1939 - História

Nossos agradecimentos a Nancy O da Virgínia por montar e distribuir o seguinte:

1 ° de janeiro:
1943: Columbus Dispatch informa 1º aniversário de Columbus AA
1946: O A.A. A Grapevine aumentou o custo da assinatura anual para US $ 2,50.
1948: & quotColumbus Dispatch & quot relatou o primeiro aniversário da Central Ohio A.A. Grupo.
1948: Primeiro A.A. reunião foi realizada no Japão, (em inglês).
1988: West Virginia A.A. iniciou a primeira linha telefônica gratuita em todo o estado.

2 de janeiro:
1889: Bridget Della Mary Gavin (Irmã Ignatia) nasceu na Irlanda.
2003: Os Arquivos do Meio-Sul da Califórnia foram transferidos para um novo local em Riverside.

3 de janeiro:
1939: Foi registrada a primeira venda de ações da Works Publishing Co..
1941: Jack Alexander disse a Bill Wilson que o Grupo Oxford estaria em seu artigo do Saturday Evening Post no A.A.

4 de janeiro:
1939: O Dr. Bob declarou em uma carta a Ruth Hock que A.A. teve que sair da atmosfera do Grupo Oxford.
1940: Primeiro A.A. O grupo foi fundado em Detroit, Michigan.
1941: Bill e Lois Wilson dirigiram até Bedford Hills, NY, para ver Stepping Stones e arrombaram uma janela destrancada.

1939: O Dr. Bob diz a Ruth Hock em uma carta que AA tem & quot para se afastar da atmosfera do Grupo Oxford & quot.
1941: Bill e Lois visitaram Bedford Hills novamente.
1941: Bill Wilson disse a Jack Alexander que Jack estava & quotthe brinde de A. A. - na Coca Cola, é claro. & Quot.

6 de janeiro:
2000:
Stephen Poe, compilador da Concordance to Alcoholics Anonymous, morreu.

7 de janeiro:
1984: & quotPass it On & quot
foi publicado nesta data.

8 de janeiro:
1938: New York A.A. separou-se do Grupo Oxford.

10 de janeiro:
1940:
O Dr. Bob diz a Ruth Hock em uma carta que AA tem & quot para se afastar da atmosfera do Grupo Oxford & quot.
1940: 1ª reunião de AA fora de casa na King School,
Akron, Ohio.

12 de janeiro:
1943: A imprensa noticiou o primeiro A.A. grupo em Pontiac, Michigan.

13 de janeiro:
1988: Jack Norris, M.D., Presidente / Curadores da A.A. por 27 anos. faleceu.
2003: Dr. Earle Marsh, autor de & quotPhysician Heal Thyself, & quot sóbrio 49 anos, morreu

15 de janeiro:
1937:
Fitz M traz reuniões de AA para Washington DC.
1941: A.A. O boletim nº 2 relatou que o grupo St. Louis tinha dez membros.
1941: Bill Wilson pediu a Ruth Hock que lhe comprasse o & quotspook book & quot & quotThe Unobstructed Universe & quot;
1945: Primeira reunião de AA realizada em Springfield, Missouri.
1945: Primeiro A.A. reunião realizada em Springfield, Missouri.
1948: A Clínica Alcoólica do Centro de Saúde Polk para Negros iniciou as operações com 14 voluntários. O Washington Black Group da A.A. cooperou com a clínica.

17 de janeiro:
1919: 18ª alteração, & quotProibição & quot, tornou-se lei.

19 de janeiro:
1940: Primeiro A.A. grupo se reuniu em Detroit, Mich.
1943: O jornal canadense relatou que oito homens se encontraram no & quotLittle Denmark, & quot, um restaurante de Toronto, para discutir o início do primeiro A.A. grupo.
1943: 1ª discussão para iniciar um grupo de AA em Toronto.
1943: Wilson voltou da 1ª maior A.A. a turnê começou em 24 de outubro de 1943.
1999: Frank M., A.A. Arquivista desde 1983, falecido.

20 de janeiro:
1954: Hank Parkhurst, autor de & quotThe Unbeliever & quot na primeira edição do Big Book, morreu em Pennington, NJ.

21 de janeiro:
1951: A.A. Grapevine publicou uma edição em memória do Dr. Bob.
1954: Hank P, que ajudou Bill a abrir um escritório em NY, morre em
Pennington, New Jersey.

23 de janeiro:
1961: Bill W. enviou uma carta de agradecimento, que ele considerou muito atrasada, ao Dr. Carl Jung por sua contribuição para a A.A.

24 de janeiro:
1918: Bill Wilson e Lois Burnham se casaram, dias antes de ele ser enviado para a Europa na Primeira Guerra Mundial.
1945: 1º grupo negro St. Louis
1971: Bill Wilson morreu em Miami, Flórida, poucas semanas depois de enviar um cartão postal ao senador Harold Hughes, de Iowa, dizendo que queria viver o suficiente para ver Hughes se tornar presidente.

25 de janeiro:
1915: O Dr. Bob Smith casou-se com Anne Ripley.

26 de janeiro:
1971: New York Times publicou o obituário de Bill Wilson na página 1.

27 de janeiro:
1971: O Washington Post publicou um obituário de Bill Wilson escrito por Donald Graham, filho do proprietário do Washington Post.

30 de janeiro:
1961: O Dr. Carl Jung responde à carta de Bill com & quotSpiritus Contra Spiritum. & Quot

Outras coisas significativas que aconteceram em Janeiro (nenhuma data específica disponível):

1938: Jim Burwell, autor de & quotThe Vicious Cycle & quot, um ex-ateu, deu A.A. & quotDeus como o entendemos. & quot
1939: 400 cópias do manuscrito do Big Book circularam
para comentário, avaliação e venda.
1940: A primeira reunião de AA fora de uma casa acontece na Kings School, Akron, Ohio.
1942: & quotDrunks are Square Pegs & quot foi publicado.
1944: O primeiro artigo do Dr. Harry Tiebout sobre o assunto
& quotAlcoólicos anônimos & quot.
1944: início dos 11 anos de depressão de Bill.
1946: Readers Digest faz uma história sobre AA.
1948: 1ª A.A. encontro no japão
1951: O A.A. Grapevine publicou uma edição em memória do Dr. Bob.
1984: & quotPass It On, & quot a história de Bill W. e como o A.A. mensagem chegou ao mundo, foi publicada.

2 de fevereiro:
1942: Bill Wilson prestou homenagem a Ruth Hock, a primeira secretária paga de AA, que renunciou para se casar. Ela havia escrito cerca de 15.000 cartas para pessoas pedindo ajuda

5 de fevereiro:
1941: O Pittsburgh Telegram publicou uma história sobre a reunião do primeiro grupo de AA na sexta à noite de uma dúzia de “ex-bêbados desesperados”.

8 de fevereiro:
1940: Bill W., Dr. Bob e seis outros AAs pediram dinheiro a 60 amigos ricos de John D. Rockefeller Jr. no Union Club, em NY. Eles receberam $ 2.000.
1940: Houston Press publicou o primeiro de 6 artigos anônimos sobre A.A. por Larry J.

9 de fevereiro:
2002: Sue Smith Windows, a filha do Dr. Bob morreu.

10 de fevereiro:
1922: Harold E. Hughes nasceu em uma fazenda perto de Ida Grove, Iowa. Após sua recuperação do alcoolismo, ele se tornou governador de Iowa, senador dos Estados Unidos e o principal azarão para a indicação presidencial democrata em 1972, até que anunciou que não concorreria. Ele foi o autor da legislação que criou o Instituto Nacional de Abuso de Álcool e Alcoolismo e outra legislação para ajudar alcoólatras e viciados.

11 de fevereiro:
1938: Clarence Snyder (& quotHome Brewmeister & quot na 1ª, 2ª e 3ª edições) tomou sua última bebida.

12 de fevereiro:
1945: A escassez de papel na Segunda Guerra Mundial forçou a redução do tamanho do Grande Livro.

13 de fevereiro:
1937: Oxford Groups & quotAlcoholic Squadron & quot reuniram-se na casa de Hank Parkhurst (& quotThe Unbeliever & quot na 1ª edição do Big Book) em New Jersey.
1940: Com cerca de dois anos de sobriedade, Jim Burwell (& quotThe Vicious Cycle & quot) mudou-se para a área da Filadélfia e iniciou o primeiro Philadelphia A.A. grupo.

14 de fevereiro:
1971: Grupos de AA em todo o mundo realizaram um serviço memorial para Bill Wilson.
2000: William Y., "Califórnia Bill", morreu em Winston Salem, NC.

15 de fevereiro:
1918:
Sue Smith Windows, filha adotiva do Dr. Bob, nasceu.
1941: O Baltimore Sunday Sun relatou que o primeiro grupo de AA da cidade, iniciado em junho de 1940, cresceu de 3 para 40 membros.
1946: AA Tribune, Des Moines, IA, relatou 36 novos membros desde que Marty Mann esteve lá.

16 de fevereiro:
1941: O Baltimore Sunday Sun relatou que o primeiro grupo de AA da cidade, iniciado em 1940, cresceu de 3 para 40 membros, sendo cinco mulheres.

18 de fevereiro:
1943: Aos AA foi concedido o direito de usar carros para o trabalho de 12º passo em casos de emergência, apesar do racionamento de gás.

19 de fevereiro:
1967: O padre & quotJohn Doe & quot (Ralph Pfau), primeiro sacerdote católico em AA, morreu.

20 de fevereiro:
1941: O Toledo Blade publicou o primeiro de três artigos sobre AA por Seymour Rothman.

21 de fevereiro:
1939: 400 cópias do manuscrito do Big Book foram enviadas a médicos, juízes, psiquiatras e outros para comentários. Este foi o Grande Livro & quotmultilith & quot.

22 de fevereiro:
1842: Abe Lincoln discursou para a Washington Temperance Society em Springfield, IL.

23 de fevereiro:
1959:
AA concedeu permissão de & quotRegravação para cegos & quot para
grave o Grande Livro.

24 de fevereiro:
2002: Hal Marley, & quotDr. Atitude de Gratidão, & quot morreu. Ele tinha 37 anos de sobriedade. Hal testemunhou, anonimamente, perante o Subcomitê de Alcoolismo e Abuso de Drogas do Senado dos EUA em 3 de dezembro de 1970.

26 de fevereiro:
1999: Felicia Gizycka, autora de & quotStars Don't Fall & quot morreu. Nascida Condessa Felicia Gizycka em 1905, ela era filha do Conde Josef Gizycki e de Eleanor Medill Patterson. Ela se casou com Drew Pearson em 1925 e se divorciou dele três anos depois. Ela se casou com Dudley de Lavigne em 1934, mas o casamento durou menos de um ano. Em 1958, ela se casou com John Kennedy Magruder e se divorciou dele em 1964. Durante a maior parte de sua carreira profissional, ela atendeu pelo nome de Felicia Gizycka.

28 de fevereiro:
1940:
A primeira reunião organizacional do AA da Filadélfia foi realizada na sala de McCready Huston na 2209 Delancy Street.

De outros fevereiro acontecimentos para os quais não tenho data específica:

1908: Bill Wilson fez um bumerangue.
1916: Bill Wilson e sua turma do segundo ano da Norwich University foram suspensos por trote.
1938: Rockefeller deu $ 5.000 para AA.
1939: O Dr. Harry Tiebout endossou AA, o primeiro psiquiatra a fazê-lo.
1939: O Dr. Howard de Montclair, NJ sugere troca e quotyou must & quot
para & quotwe deve & quot no Grande Livro.
1940: A primeira reunião de organização do AA da Filadélfia é realizada na sala de McCready Hustona em 2209 Delaney Street.
1940: O 1º clube AA foi inaugurado em 334-1 / 2 West 24th Street, NYC.
1941:
1943: O repórter do San Francisco Bulletin, Marsh Masline, entrevistou Ricardo, um membro do grupo AA da Prisão de San Quentin.
1946: Baton Rouge, Louisiana, AA realizam seu primeiro encontro de aniversário.
1946: O AA Grapevine relatou que o New York Seaman's Group publicou um panfleto para os marinheiros & quotem uma página os 12 Passos foram simplificados em 5. & quot
1946: O Comitê de Des Moines para Educação sobre o Alcoolismo exibiu seu primeiro programa no KRNT.
1946: Pueblo. Colorado, tinha um segundo grupo, composto por pacientes alcoólatras do Hospital Estadual.
1951: O artigo da revista Fortune sobre AA foi publicado em forma de panfleto.
1959: AA concedeu permissão à & quotRecording for the Blind & quot para gravar o Grande Livro.
1963: Harpers publicou artigos críticos de AA.
1981: A primeira edição de & quotMarkings, & quot AA Archives Newsletter, foi publicada & quot para dar à Irmandade uma noção de seu próprio passado e a oportunidade de estudá-lo. & Quot

1 de Março:
1939: O Readers Digest não conseguiu escrever o artigo prometido sobre AA.
1941: O artigo do Saturday Evening Post de Jack Alexander criou sensação nacional. O número de membros de AA quadruplicou em um ano de 2.000 para 8.000.

03 de março:
1947: Nell Wing, a secretária de Bill e primeira arquivista de AA, começou sua carreira no Alcoholic Foundation Office em 415 Lexington Avenue.

4 de março:
1891: Lois Wilson nasceu.

5 de março:
1945: A revista Time relatou transmissões de rádio de Detroit de membros de AA.

7 de março:
1940:
Bill e Lois visitaram o grupo Philadelphia AA.
1941: O jornal de Boston informou que qualquer bêbado que quisesse
ficar bom era mais do que bem-vindo na reunião de AA em 115 Newbury St., às 20h às quartas-feiras.

9 de março:
1941:
Wichita Beacon relatou um membro de AA de NY que queria formar um grupo em Wichita, Kansas.

10 de março:
1944:
O Intergroup de Nova York foi estabelecido.

11 de março:
1947: Um padre em St. Paul, Minnesota, fundou a Calix International. Os alcoólatras de sua paróquia se reuniram após a missa da manhã de sábado para discutir as leituras do próximo domingo e como sua fé se fundia com os Doze Passos dos Alcoólicos Anônimos.

12 de março:
1940: Ebby Thatcher, amigo de infância de Bill Wilson e patrocinador, foi relatado novamente sóbrio.

14 de março:
1941: South Orange, NJ, AA realizou um jantar de aniversário no Hotel Suburban com Bill Wilson como orador convidado.

15 de março:
1941: O primeiro grupo de AA foi formado em New Haven, Connecticut.

16 de março:
1940: Bill mudou o escritório da Alcoholic Foundation para 30 Vesey St., NY. (30 Vesey St., NY, quase foi destruída em 11 de setembro de 2001).

18 de março:

1951: Cliff W. foi eleito primeiro delegado do sul da Califórnia.

21 de março:
1881: Anne Ripley, esposa do Dr. Bob, nasceu.
1966: Ebby Thatcher, o patrocinador de Bill Wilson, morreu sóbrio.

22 de Março:
1951: O Dr. William Duncan Silkworth morreu no Towns Hospital.
1984: Clarence Snyder, fundador do Cleveland AA e autor de & quotHome Brewmeister, & quot, morreu aos 81, 46 anos sóbrio.

23 de março:
1936: Bill e Lois Wilson visitaram Fitz Mayo, & quotOur Southern Friend, & quot em Maryland.
1941: Encontro de sobriedade de Sybil C. Ela foi a primeira mulher a entrar em AA a oeste do Mississippi.

25 de março:
1898:
Jim B. (<& quotO ciclo vicioso & quot) nasceu
1965: Richmond Walker, autor do livro "Vinte e quatro horas por dia", morreu aos 72 anos, quase 23 anos sóbrio.
2005: Nancy Olson, fundadora da AAHL- Veja o Memorial em:
http://hindsfoot.org/nomem1.htm

29 de março:
1943: O Charleston Mail, WV, relatou que Bill Wilson deu uma palestra na Casa Paroquial de St. John.

31 de março:
1947: O primeiro grupo AA foi formado em Londres, Inglaterra.


Hoje na História da Segunda Guerra Mundial - 14 de outubro de 1939 e # 038 de 1944

80 anos atrás - 14 de outubro de 1939: Em um ataque ousado à base naval da Grã-Bretanha em Scapa Flow, submarino alemão U-47 afunda o encouraçado britânico HMS Royal Oak 833 mortos.

Marechal de Campo Erwin Rommel, Comandante das forças alemãs no Norte da África, com seus assessores durante a campanha no deserto, 1942 (Arquivo Federal Alemão: Bild 101I-785-0287-08)

75 anos atrás - outubro. 14, 1944: O marechal de campo alemão Erwin Rommel, suspeito da trama de assassinato de Hitler em 20 de julho, comete suicídio para proteger sua família.

A resistência grega e as tropas britânicas protegem Atenas, Grécia.

Ann Baumgartner se torna a primeira Vespa a voar em um avião a jato experimental.


14 de outubro de 1939 - História

Chega a depressão - Crise internacional crescente -

A vida privada de Sherlock Holmes - GM na Alemanha nazista

Sherlock Holmes deve ter sido um grande consolo para Edgar durante esses dias difíceis no trabalho. Ele gostava de sua correspondência com Starrett. Ele começou a acumular uma coleção importante por meio do amigo de Starrett e também bookman David Randall, em Nova York, e outros corretores de livros. 1 Ele escreveu vários artigos acadêmicos de sua autoria, começando com "The Long Road to Maiwand" sobre o primeiro encontro de Holmes e Watson, e começou a compilar Appointment in Baker Street, um trabalho de referência ambicioso sobre os personagens do Cânone, em rascunho a tempo de Starrett para entusiasmo com isso em fevereiro de 1938. Após um ano de correspondência com Starrett, Edgar finalmente escreveu a Christopher Morley em 9 de agosto de 1938, contando-lhe sobre Appointment e anexando cópias de "The Long Road to Maiwand", "Up From the Needle", e “O Curioso Incidente do Tour de Force”, seus esforços inaugurais como bolsa de estudos canônica. E encerrou perguntando a Morley: “Starrett também me contou algo sobre os Irregulares da Baker Street. Esta banda ainda está operando, e ser membro dela está além das minhas aspirações? ”

Morley respondeu em 12 de agosto, e um pedaço de sua notícia emocionou Edgar: Morley não só tinha lido os anexos de Edgar, ele enviou "O Curioso Incidente do Tour de Force" para a imprensa, na Revista de Literatura de 20 de agosto no sábado. Pela primeira vez, Edgar foi um Sherlockiano publicado. 2 Morley o informou, porém, que o BSI estava inativo: “O B.S.I. levar uma existência vaga e esporádica. Eles não se encontram há alguns anos, mas em algum momento do próximo inverno haverá um jantar e certamente você deve ser generosamente iniciado. " E Morley levantou a ideia de almoçar juntos, mas sim morrer.

Na verdade, não haveria um jantar BSI naquele inverno até 1940, depois que o próprio Edgar começou a forçar a sério mais tarde por um. Também demorou muito para o almoço, embora sua correspondência tenha se tornado mais kinspritlich nesse ínterim. Em 27 de dezembro de 1938, Edgar ainda se dirigia ao fundador do BSI como “Sr. Morley ”, mas em 7 de janeiro de 1939, talvez depois de uma troca de cartões de Natal (com o tempo, Edgar criaria o seu próprio com temas sherlockianos) e os cumprimentos de Ano Novo, Edgar estava em termos de“ Querido Porky ”com ele. Ainda dizendo: “Ainda espero que possamos nos encontrar algum dia para o almoço”.

Edgar assinou “Thorney” nessa carta. Ele havia recentemente adotado Thorneycroft Huxtable como um nom de canon em um clube Sherlock Holmes diferente, um consolo durante o outono desencorajador do Acordo de Munique da Grã-Bretanha com Hitler. Em algum momento daquele ano, Edgar conheceu um corretor da bolsa de Nova York, Richard W. Clarke, que com outros quatro homens fundou um clube Sherlock Holmes em 1935, que eles chamaram de The Five Orange Pips. Clarke e seus amigos não conheciam o BSI e, quando souberam dele mais tarde, não ficaram impressionados e não fizeram menção de se conectar. Mas Edgar e Richard Clarke descobriram que ambos eram devotos de Holmes, e Edgar foi convidado para o jantar anual dos Pips naquele mês de outubro, reunido no Plaza Hotel. Em um artigo BSJ de 1961, Clarke relatou o evento:

Foi em [1938] que Edgar W. Smith se juntou à nossa sociedade. Passamos várias semanas estudando seus dossiês e depois constatamos que ele estava fazendo a mesma pesquisa a respeito de nós.

Às sete horas de uma agitada noite de outubro de 1938, os cinco Pips originais se reuniram no Oak Room do Plaza Hotel em Nova York. Poucos minutos depois, um pajem apareceu chamando em voz alta pelo “Sr. Rucastle. ” A página então nos entregou um cartão muito impressionante no qual estava impresso “Dr. Thorneycroft Huxtable, M.A., Ph.D. ” 3 Depois de dar as boas-vindas a Edgar, nosso novo membro, seguimos para a entrada do Plaza na 59th Street, onde subimos em duas carruagens e fomos levados a cavalo até a residência de Gordon Knox Bell na East 66th Street. Sua casa tinha uma semelhança considerável com as casas de Londres da virada do século. O mesmo poderia ser dito da mesa bem carregada e do aparador barulhento. Muita alegria se seguiu, incluindo várias e sérias contribuições literárias. Entre outros pratos estava um belo ganso assado no qual estava incrustada uma bela pedra azul faiscante. Reuniões jantares anuais têm sido realizadas todos os anos, com exceção dos anos de 1941 a 1945, durante os recentes momentos desagradáveis. 4

Portanto, Edgar, embora cada vez mais faminto por almoçar com Chris Morley, tinha um novo conjunto de amigos com interesses mútuos.

Edgar se eleva mais alto no trabalho

Havia consolos no trabalho também. Em agosto a Export Company

tinha sido transformado em Operações no Exterior da General Motors com o novo logotipo bacana mostrado acima. Isso significava promoção e maior responsabilidade para Edgar. Anteriormente, ele era um v.p. da GM Export Co., e presidente do comitê de equipe econômica, enquanto atua em três outros comitês. Na nova organização, ele se tornou vice-presidente e diretor de Relações Institucionais, tanto internamente em termos de pessoal, quanto externamente em termos de associações de classe, governo etc. A GM pode ser uma empresa de máquinas que produz outras máquinas na forma de automóveis, caminhões, locomotivas, etc., mas: “Ao transformar esses ativos físicos do negócio em conta, outro grupo de ativos é inevitavelmente acionado. Esses ativos, menos tangíveis mas igualmente importantes com os outros, assumem a forma, especificamente, dos recursos humanos que a organização possui e do papel que ela mesma desempenha no mundo econômico, social e político em que se move. ” 5

Com essas palavras (não fluidas o suficiente para que Edgar fosse o autor), Relações Institucionais se tornaram uma das quatro principais funções da equipe de Operações no Exterior. “Todos os elementos do negócio que influenciam o desempenho adequado desta função - as relações 'internas' da organização com seus funcionários e suas relações 'externas' com o mundo em geral - foram agrupados para coordenação e controle da equipe sob o orientação de Edgar W. Smith. ” Uma divisão de Edgar era Relações Públicas, dirigida por seu amigo da velha escola, James Morris. A cada vez mais vital e sensível Divisão de Relações Governamentais e seus trabalhos foram dirigidos pelo próprio Edgar, além de suas atribuições gerais: “Esta responsabilidade, com a consequente interpretação das tendências político-econômicas, é assumida pessoalmente pelo Sr. Smith, que tem, por vários anos, manteve os contatos frequentes em Washington necessários ao aumento da atividade governamental. ” (Incluindo o apoio do Departamento de Estado e da Embaixada dos EUA em Berlim aos esforços de Graeme Howard para manter a Opel.)

Em um mundo cada vez mais ameaçado, essa era de fato uma responsabilidade séria. No momento em que esta descrição do Departamento de Relações Institucionais apareceu, a Europa tinha um sério susto de guerra por causa da demanda da Alemanha pela Sudentenland da Tchecoslováquia. Durante os últimos cinco anos, Hitler descartou o Tratado de Versalhes e reconstruiu a máquina de guerra da Alemanha, remilitarizou a Renânia e anexou a Áustria. Essas coisas haviam sido explicadas por europeus e americanos que não queriam confrontar Hitler, simplesmente como questões internas. A Tchecoslováquia não, mas a política de apaziguamento do primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Neville Chamberlain, consentiu no desmembramento do estado democrático criado em 1919 em Versalhes. Ele chamou o Acordo de Munique de setembro com Hitler de "paz em nosso tempo". It did not seem so to critics of appeasement like Winston Churchill, nor to some Americans concerned about foreign affairs, and Edgar was likely one of those. The National Foreign Trade Association opened its convention on October 31st with presentations, including one by Edgar, gloomy enough for the following day’s New York Times to report them as U.S. Warned to Gird for Economic War. 6

The following week, the civilized world, which definitely included Edgar and his family, watched aghast as the Nazi regime launched anti-Jewish pogroms across all Germany the night of November 9-10 ( Kristallnacht ), using as pretext the assassination of a German diplomat in Paris by a distraught seventeen-year-old boy whose family had been wrenched from their home in Hanover and ejected into stateless refugee status on the Polish border.

A Baker Street Irregular at last

For Edgar’s peace of mind, it surely helped to produce Appointment in Baker Street at the end of that year, in a Pamphlet House edition of 250 copies. (Enormous for the BSI market of the day, or for today’s for that matter.) That led finally to lunch with Christopher Morley at Christ Cella’s speakeasy on East 45th Street in early 1939. Also present was Morley’s close friend William S. Hall, a fellow founder of the BSI. In 1961 Hall provided an account of that lunch. “Chris Morley phoned one morning and instructed me to meet him at Cella’s for a ‘bowl of soup,’” he said. “He added that he had been invited to lunch by a man from General Motors and that I might as well get in on it.”

And that was when I first met Edgar Smith. He lost no time in launching into the reason for the meeting: for some time he had been reading about the doings of The Baker Street Irregulars in the Saturday Review of Literature and, having immersed himself in the exploits of Sherlock Holmes and Dr. Watson for most of his career, he wondered if he might be permitted to become a member.

Morley, always delighted with a quiz program of any sort, tossed several questions at Edgar, some of them really tough, but Edgar came through with flying colors. He was accordingly dubbed, with the help of an additional whiskey-and-soda, a full-fledged member on the spot. Since then I have always rated the meeting of Morley and Smith second in importance only to that of Stanley and Livingstone.

The rest we all know about. Almost from that moment on, Edgar was The Baker Street Irregulars, and that includes most of the Scion Societies as well. I had the pleasure on several occasions of calling on him in his sumptuous quarters at General Motors, not, God help me, to talk about automobiles, but to discuss some point or other about the B.S.I. or the Journal. And I never failed to notice that the contents of one half of his enormous desk was Sherlock Holmes. 7

Edgar was finally a full-fledged member — of a club that hadn’t met for three years.

The Approach of War in Europe

In mid-March, GM’s Policy Committee met at Overseas Operations offices, now at 1776 Broadway in New York, under Alfred Sloan’s chairmanship to consider “current political conditions in Germany, and the status of our own operations in that country.” Adding to their

urgency was stepped-up Nazi harassment of German members of Opel’s American-led board of directors. 8 These issues directly involved Edgar’s responsibilities, and one imagines he was pleased by the decision to make no further investments in Germany, and forbid any Opel role in producing aircraft engines, something the Luftwaffe and Hermann Goering were pressing for. Existing work continued but “faced with the issue of whether to allow Opel to embark upon production of a clearly military nature for the government of the Third Reich, GM’s top leadership firmly ruled out that possibility.”

It was lucky timing: two days later, Hitler seized the rest of demo-cratic Czechoslovakia.

The following month saw considerable contrast with the grand opening of the 1939-40 New York World’s Fair in Flushing Meadows. It was an important event for General Motors, long in the planning, and for Edgar personally. The Fair’s theme was “Building the World of Tomorrow,” and its most popular and longest-remembered feature was GM’s 36,000 sq. ft. Futurama exhibition designed by Norman Bel Geddes, in which visitors gazed down upon automated roads and high-

ways running through the future’s cities, suburbs, and countryside. Another feature of the Fair was its World Trade Center, with “world peace through world trade” as its motto: “The executive committee, headed by Edgar W. Smith, has planned the exhibit to help the man in the street to visualize the many phases of world trade through animated charts, graphs and dioramas. Motion pictures depicting the interdependence of all nations will be shown afternoons and nights.” 9

(On left, GM’s Graeme Howard.)

It sounds much like the naive 1910 sentiment of The Great Illusion by British Labour Party M.P. Norman Angell, that economic inter-dependence had made militaries obsolete, and would end war. Four years later the World War was underway. 10 This time, World War II followed the World Fair’s opening by less than five months.

That it proved fruitless probably did not surprise Edgar by now, for all his upbeat words at the time. That April he had spoken to New York University’s Foreign Trade Club, and what he said there is worth considering as a reflection of his mind and outlook as war clouds gathered in Europe — feeling as he did that trade barriers set nations against each other, and believing with Henrik Van Loon that “a world divided is a world lost.”

His comments were business-oriented, and in hindsight erred: the foreign situation, he said, was not a political one at base, but economic, with “the world behaving in a most unbusinesslike manner.” Economic determination did not explain Adolf Hitler. But it was an unselfish viewpoint nonetheless:

In speaking as a businessman, and as an individual, I am trying not to speak as one who happens to be engaged in the business of exporting automobiles I am trying rather to see the foreign situation through the eyes of the inland manufacturer, and the small shopkeeper, and the farmer, and the men and women in all walks of life who look to the world at large, as they must, for their well-being, their jobs and their very sustenance.

There is not one true isolationist, there is not one philosophical caveman, among all the millions who toil to produce and distribute the material wealth that mankind needs. Nor can there ever be — for they are a part of the business world, and the business world is inextricably interwoven with what we call the foreign situation — and the foreign situation itself, in all its most frightening implications, is simply the result of good business practices gone wrong. What the businessman asks is no more than a restoration of the right for all to buy in the best market and to sell on a basis of equal opportunity.

The situation is no longer in the hands of the businessman today it lies instead in the hands of the rulers of governments. We must hope that those rulers will sit down together in an earnest endeavor to undo the harm that many of their kind have done, and that they will find a way to turn this problem of supplying the world with the goods it needs back at last into the hands of the businessman where it belongs. 11

That summer, though, GM, and Edgar, could hardly not have realized that Germany was preparing to attack Poland, the latest target of its vituperation. Large numbers of reservists in the Opel workforce were being called up, and orders for the Blitz truck were accelerated. Then on August 22nd the entire world learned what was coming when the Nazi-Soviet Pact was revealed: it made allies out of bitter racial and ideological foes, eliminated a two-front war for Germany, and secretly divided Eastern Europe between the totalitarian powers. Nine days later Germany invaded Poland. Three more days later, a reluctant Britain and France declared war on Germany, though without doing anything to save Poland. Stalin invaded Poland from the east, started secret preparations to attack Finland in November, and subsequently to invade the independent Baltic Republics.

"Sr. Mooney Tries to Stop the Second World War”

In mid-October 1939, as Poland was crushed, a phone call to James Mooney, at that time in Rüsselsheim for contract negotiations, began a new and bizarre chapter for GM Overseas Operations, and for Edgar himself. Hermann Goering, Hitler’s second in command, was suggesting that a neutral American businessman like Mooney could play an historic role bringing about peace between Germany and the Allies. Within a day or two Mooney was in Berlin meeting with Goering and his aide Helmuth Wohlthat. Peace was proposed on the basis of Germany dominating Europe and leaving Britain in mastery of its overseas empire if Hitler was an obstruction to British agreement, it was suggested, then perhaps he could be promoted upstairs to some-thing like chairman of the board, instead of continuing as the Third Reich’s CEO. The following day, Mooney headed for Paris.

Professor Turner’s previously-cited book calls the year-long farce “Mr. Mooney Tries to Stop the Second World War.” It was his own decision to pursue Goering’s feeler, and neither Detroit nor Mooney’s staff in New York, including Edgar, always knew where Mooney was and what he was doing in the weeks and months that followed. 12 That he was not reined in may surprise present-day observers, but as Turner remarks:

Ruggedly handsome, dapper, and affable, the outspoken head of GM’s overseas operations was something of a celebrity in the United States. Because of the striking successes of the overseas division despite the Depression, he was portrayed in newspapers and popular magazines as the ideal pragmatic, problem-solving American businessman. His flamboyant style made him a popular after-dinner speaker, and his views on world affairs were headline news. 13

He was not an economic isolationist, but did support armed neutrality for America, and felt that U.S. foreign policy should support its commercial interests. The war in Europe, though so far involving no British or French military operations against Germany, was in the way of business, and Mooney had scant confidence in the government handling U.S. interests responsibly. “The ideologies then rampant in Europe seemed to him nothing more than smoke screens ‘used principally as a means of grasping and consolidating power,’” says Turner and “injustices committed by fanatical regimes were of no interest to him so long as they did not interfere with the transaction of business. . . . These views led Mooney into the ranks of the economic appeasers of the 1930s.” 14

In Paris Mooney met with Ambassador William C. Bullitt, Elmer Davis’s friend from Henry Ford Peace Ship days in 1915. 15 Bullitt was instantly opposed to the scheme, and refused to facilitate Mooney’s effort. Mooney continued on to London, where defeatist-minded Ambassador Joseph P. Kennedy gave Goering’s proposal a warm reception instead, and helped Mooney to meet with Lord Halifax, the Foreign Secretary. The reaction was mixed. Prime Minister Chamberlain was not interested in actually fighting Germany, in the war Britain had reluctantly declared, but it wasn’t easy to see how to return to peace, having finally lost confidence in Adolf Hitler as a negotiating partner. And British diplomats saw Goering’s proposal as aimed at dividing Britain and France. But a Third Reich under new leadership could be a different story, and in November Mooney was back in Berlin with an informal Whitehall message to that effect.

Mooney wanted to sound out Helmuth Wohlthat before Goering himself, but heard that Wohlthat had left for Rome. Mooney proceeded there, and spent two weeks waiting for Wohlthat to show up. When he did, he told Mooney that what Goering had hinted at in October was now impossible. By now it was December, and Mooney returned to the United States. He had not abandoned hope of ending the war, though, and in order to enlist the President of the United States in his efforts, he sought a meeting with Franklin Roosevelt through a mutual acquaintance named Basil O’Connor. 16 Mooney was a Democrat in “good personal standing with the President,” 17 and so FDR gave him an hour and a half of his time at the White House a few days before Christmas.

FDR, highly skilled at encouraging others without committing himself, let Mooney depart thinking he had the President’s interest and support for further unofficial talks in Europe. When Mooney after vacationing in Florida saw FDR again in January, the President encouraged him further by giving him a short typed note with his signature as “a kind of informal credential.” It read: “Dear Jim, I enjoyed our little chat this morning very much. Just a line to wish you good luck and I shall expect you to drop in to see me when you return to America.” 18 Mooney would display it to quite a few U.S. and foreign dignitaries over the next few months before discovering how little it really meant as far as FDR himself was concerned.

Meanwhile the State Department gave Mooney the cold shoulder in Washington, and again in Europe when Mooney returned there. In Berlin, in early March, Mooney went to the length of crashing a U.S. Embassy reception for visiting Under Secretary Sumner Welles, in hopes of gaining his support, but Welles would not discuss it. Mooney did succeed in meeting with not only Goering again, but Adolf Hitler himself. Hitler reportedly talked an encouraging blue streak to Mooney in their meeting, without divulging that he had just approved plans to attack Denmark and Norway. Mooney left for Rome where he wrote detailed reports of his conversations with Goering and Hitler and sent them back to the President through Naval Intelligence channels at the U.S. Embassy. 19

Mooney settled back to await a reply. It was a long time coming, and when it did, it was what disinterested observers would have recognized as dismissive. Then on April 9, Germany invaded Denmark and Norway. Mooney sailed for New York, occupying his time aboard ship by writing a speech he would deliver in Cleveland on June 1st. Once home he wrote to the President once more — posting his letter the day that Hitler attacked France and the Low Countries as well, leaving the British Army scrambling to be evacuated at Dunkirk. The war was on in earnest now, and so was a fierce struggle in America between isolationists and supporters of aid to Britain, where Winston Churchill now replaced Chamberlain as prime minister.

Buttons-cum-Commissionaire — America Remains Neutral — Baker

Street Irregulars in a Different Sense? — Getting to Know the Irregulars

1 Randall headed the rare books department at Scribner’s bookstore on Fifth Avenue, and would come into the BSI at its 1940 dinner. Edgar’s earliest known acquisition of importance, by January 1939, was the manuscript of S. C. Roberts’ cornerstone work Doctor Watson , a splendid start at a scintillating collection. ( Irregular Memories of the ’Thirties , p. 184.)

2 “The Curious Incident of the Tour de Force ” was Edgar’s first foray in an area that interested him greatly, the Canon’s textual purity. See Irregular Memories of the ’Thirties , pp. 193-94, for a lengthy letter on the subject to Christopher Morley. A subsequent letter to the editor of the Saturday Review of Literature , headed “Transplanting Holmes” in the April 29, 1939, issue, addressed the subject as well. His interest would grow and develop until it culminated in his editing the text for the Limited Editions Club edition of the Canon in the late 1940s and early 1950s.

3 All the Pips (the others were Owen Frisbie, Frank Waters, Norman Ward and Gordon Knox Bell) had adopted noms de canon , and Clarke’s was Jephro Rucastle. Edgar became the Sixth Pip as Thorneycroft Huxtable, and in 1944 applied the concept to the BSI for its investitures membership system. Clarke’s memory of the card was not exact: several survive today, one of them in the Pips archives at the New York Public Library, reading “Thorneycroft Huxtable, M.A., Ph.D. etc.” The card is reproduced in pt. 5 of this work.

4 Richard W. Clarke, “The Five Orange Pips,” Baker Street Journal , June 1961 also in Irregular Memories of the ’Thirties , pp. 134-37.

5 “The Institutional Relations Department,” General Motors World , Novem-ber 1938.

6 New York Times , November 1, 1938. Though not so-warned by all involved: Winthrop Aldrich, chairman of the board of Chase National Bank, addressed the convention by telephone from Berlin to say that “we should take full advantage of the opportunity for peace given by the Munich accord. It is of paramount importance that the efforts of diplomats and the heads of governments should be reinforced by efforts for economic appeasement.”

7 W. S. Hall, “How I First Met Edgar W. Smith,” Baker Street Journal , June 1961. Edgar may have observed the requirements of such club life from his father, who’d been an officer of Brooklyn’s chapter of the Improved Order of Heptasophs when Edgar was a teenager: Brooklyn Daily Eagle , February 4, 1910.

8 Henry Ashby Turner, Jr., General Motors and the Nazis: The Struggle for Control of Opel, Europe’s Biggest Carmaker (Yale University Press, 2005), pp. 82, 86-87.

9 “Center to Advise on World Trade,” New York Times , May 14, 1939. See also “Sayre Urges End of Trade Barriers,” New York Times , May 22, 1939, about the Center’s opening.

10 Angell was nonetheless awarded the Nobel Peace Prize — in 1933, the year Adolf Hitler took power in Germany.

11 General Motors Documents Relating to World War II Corporate Activities in Europe, Box 7, Folder 7317-7321, Sterling Memorial Library, Yale University. (Address by Edgar W. Smith, Vice President of GM Overseas Operations, to New York University’s Foreign Trade Club, Hotel Shelton, April 20, 1939.)

12 Alfred Sloan in March 1940 told Mooney’s aide James Wachtler who’d accompanied him to Berlin: “I didn’t have the heart to tell [Mooney] he was wasting his time dealing with that crowd.” Sloan added that peace could not be restored until “about twenty-five of the ringleaders over there in Germany had been lined up against a wall and shot.” Turner, op. cit. , p. 126.

13 Ibid. , pp. 104-05. An example of his prominence is his above-the-fold guest article in the March 3rd, 1929, New York Times , “The Automobile Remodeling Life: As a Factor in the Age of Communication, Motor Transportation Is Spreading Civilization Throughout the World.”

14 Turner, op. cit. , pp. 106, 107-08.

15 See ch. 4, “The Friendly Sons of St. Vitus,” in “Certain Rites, and Also Cer-tain Duties” (2009).

16 O’Connor was a former law colleague of FDR’s, and president of the National Foundation for Infantile Paralysis, from which FDR suffered.


A Jewish History of Lodz, Poland

We spoke of Poland in general, but especially of Lodz. Among other things, he tried (unsuccessfully, I think) to teach me how to pronounce the name of this city. The short ride did not, of course, permit us even to dabble in the long history of this Lodz.

Omitting focus on the Jews of Lodz, the briefest possible history is this: The second largest city in Poland, Lodz was chartered in 1423. Control was taken by Prussia in 1793, Russia in 1815, and reasserted by Poland in 1919. Lodz was occupied by Germany during World War II.

The Jewish history of Lodz, reduced to one sentence, would tell of 150 years of robust growth (despite a myriad of anti-Jewish laws) followed by rapid slaughter at the hands of the Nazis (and, in part, an unsupportive Polish population). But the story of the Jews of Lodz deserves a longer telling:

1793
The Jewish population of Lodz is eleven, almost 6% of the total.

1820
Jews make up more than a third of the population: 259 out of 767. Jews are not permitted to acquire building properties or sell liquor.

1823
A textile industry is founded, primarily by weavers from Silesia.

1 July 1827
Jews are given permission to acquire building sites and to build on these sites.

1832
Samuel Ezekiel Salzmann (among others) promulgates Jews' rights to settle and establish themselves in Lodz.

1835
The textile industry in Lodz is propelled forward by the introduction of steam-powered weaving looms.

1848
The Czar (of Russia) abolishes laws restricting Jewish settlement in the cities of Poland.

1861
The Czar permits Jews to settle throughout Lodz.

1887
Arthur Rubinstein is born in Lodz. In the years to come, he will study piano in Warsaw, make his debut with the Berlin Symphony (1898), emigrate to the U.S.A., and establish himself as one of the finest pianists of the twentieth century.

1897
The Jewish population of Lodz is nearly 400 times that in 1820, now 98,676 -- nearly a third of the total population of 310,302.

1900
Lodz-born chess champion David Janowski receives an honorary gold medal upon his visit to his native city. Lodz-born artist Leopold Pilichowski receives a gold medal at the Paris Exposition, for his painting "The Wandering Jew."

1904
As a manufacturing giant, Lodz is known as "the Manchester of Poland."

1912
The first Hebrew secondary school (Gymnasium) in Poland/Russia is founded, in Lodz, by Markus (Mordecai) Braude.

1914
One-third (175) of the city's factories are owned by Jews, as are more than a quarter (18,954) of the small workshops. Experiencing decades of growth, an expanding textile industry produces items made of wool, cotton, and other materials.

1918
The first Yiddish school is established.

Primeira Guerra Mundial
Lodz is badly damaged during the war.

1930s
Anti-Jewish laws and policies adversely affect Jews throughout Poland.

1931
A Jewish population of 202,497 is a third of Lodz's total population (604,470).

  • All Jewish-owned bank accounts are blocked. Jewish cash holdings are restricted to 2,000 zlotys (under $400).
  • Jews are forbidden to engage in the textiles industry Jewish businesses are expropriated by the Germans.
  • Jews are forbidden from using public transportation, may not leave the city without special permission and may not own cars or radios.
  • Synagogue services are forbidden.

13 October 1939
The Nazis appoint a Judenrat (Jewish Council), known in Lodz as an Altestenrat (Council of Elders), with Mordechai Chaim Rumkowski as head.

9 November 1939
Lodz is officially annexed to the Reich.

11 November 1939
The Commissioner of Lodz issues a decree to identify non-German shop owners:

17 November 1939
Jews are required to wear yellow badges on their clothing.

2 December 1939
The Chief of Police issues a decree to control Jewish access to transportation:

8 February 1940
A Jewish ghetto-prison is established, consisting of 1.5 sq. mi. (4 sq. km.) of dilapidated buildings, without running water or sewers.

1 March 1940 ("Bloody Thursday")
The 164,000 Jews of Lodz are forced into the ghetto-prison. The Germans torture and kill as they herd the Jews in a bloody march.

11 April 1940
The German occupiers rename the city Litzmannstadt, after German general Karl Litzmann, who conquered Lodz during World War I.

1 May 1940
The Lodz ghetto becomes the first Polish ghetto to be sealed.

25 May 1940
Hans Biebow issues orders to establish factories in the Lodz ghetto-prison. Jewish slave labor will net the Germans an estimated profit of fourteen million dollars. Ninety-six factories are established, employing over seventy thousand Jewish slave laborers.

Early 1940s
Many inmates of the ghetto-prison die, felled by typhus fever, hypothermia, and starvation. Over 43,000 persons (nearly a quarter of the population) die from disease, cold, or lack of food.

30 January 1941
The Chronicle of the Lodz Ghetto reports a death, one of many:

12 April 1941
o schutzpolizei kommando issues orders for the use of deadly force to control the movement and actions of the inmates of the ghetto-prison:

"Every Jew attempting to crawl through the wire of the ghetto fence or over it or to otherwise leave the ghetto without permission will be shot without warning.

"Every Jew who throws any smuggled goods or money over the fence or who receives goods thrown over the fence will, when caught in the act, be shot without warning.

"Every Jew going to the fence after the curfew hour (9:00 PM) will be shot without warning."

17 May 1941
The Chronicle of the Lodz Ghetto reports a shooting by the sentries, one of many:

"On May 17, at 4:15 p.m., 49-year-old Mordka Moszkowicz was shot dead by a bullet fired by a sentry. The incident took place by the barbed wire at the intersection of Smugowa and Franciszkanska streets."

20 August 1941
Ghetto inmate David Sierakowiak, in his diary, describes the health of the Jewish community:

"Almost everywhere there are signs of tuberculosis: it's getting worse all the time. Some people arrived this week from Warsaw, and they speak of the horrible situation there. Still, none of them has that dreadful pasty tubercular skin seen here. The cadavers walking around the streets give the entire ghetto that pale, musty, tubercular look."

September 1942
Nazis demand that all children and old people be surrendered. In the 10 days after Rumkowski's public speech, 20,000 children and old people are deported to the Chelmno extermination camp.

1 September 1942
More than two thousand patients are deported to the Chelmno extermination camp from the Lodz Hospital, including 400 children and eighty pregnant women. Eighteen patients try to escape and are shot.

1 October 1942
The population of the ghetto is now cut by half, to 89,446, due in part to the systematic extermination of children under age 11, adults over 60 and the sick.

Agosto de 1943
The ghetto-prison becomes a de fato labor camp, with 90% of the inmates working in 119 factories. Generally, the need for orphanages, hospitals and schools ceases.

23 June 1944
Deportations to the Chelmno death camp resume.

30 August 1944
The last transport leaves Lodz, having by now taken 76,701 to Auschwitz. The ghetto-prison in Lodz is the last in Poland to be liquidated.

Fall 1944
Eight hundred Jews remain in Lodz, a group known as the Aufr umungskommando ("tidying-up detachment"). They collect the possessions of the dead and deported inmates of the ghetto-prison and they collect the equipment of the factories. Each day, fifty to sixty freight cars filled with these items leave for Germany.

19 January 1945
The Soviet army liberates the Lodz ghetto-prison. Fewer than 800 Jews are found still living, out of an original population of 180,000.

Late 1946
50,000 Jews resettle in Lodz, most from the Soviet Union.

1946-1950
Half the Jewish population of Lodz leaves Poland.

1956-1957
Most remaining Jews leave for Israel.

1969
Nearly all remaining Jews leave Poland.

1997
Miriam Weiner, a leading expert on the Jewish communities of Poland, reports the status of the Jewish community in Lodz:

PLEASE REFER ALL INQUIRIES TO THE LODZ A REA RESEARCH GROUP MAILING LIST .
WEBSITE PROBLEMS ONLY SHOULD BE REFERRED TO THE WEBMASTER .


14 October 1939 - History

EARLY URANIUM RESEARCH
(1939-1941)
Events > Early Government Support, 1939-1942

Presidente Franklin D. Roosevelt responded to the call for government support of uranium research quickly but cautiously. He appointed Lyman J. Briggs, director of the National Bureau of Standards, head of the Advisory Committee on Uranium, which met for the first time on October 21, 1939. The committee, including both civilian and military representation, was to coordinate its activities with Alexander Sachs and look into the current state of research on uranium to recommend an appropriate role for the federal government. In early 1940, only months after the outbreak of war in Europe, the Uranium Committee recommended that the government fund limited research on isotope separation as well as Enrico Fermi's and Leo Szilard's work on fission chain reactions no Columbia University (below).

Scientists had concluded that enriched samples of uranium-235 were necessary for further research and that the isotope might serve as a fuel source for an explosive device. Finding the most effective method of isotope separation thus was a high priority. Since uranium-235 and uranium-238 were chemically identical, they could not be separated by chemical means. And with their masses differing by less than one percent, separation by physical means would be extremely difficult and expensive. Nonetheless, scientists pressed forward on several complicated techniques of physical separation, all based on the small difference in atomic weight between the uranium isotopes.

Many scientists initially thought the best hope for isotope separation was the high-speed centrifuge, a device based on the same principle as the cream separator. Centrifugal force in a cylinder spinning rapidly on its vertical axis would separate a gaseous mixture of two isotopes since the lighter isotope would be less affected by the action and could be drawn off at the center and top of the cylinder. A cascade system composed of hundreds, perhaps thousands, of centrifuges could produce a rich mixture. Centrifuge research, being pursued primarily by Jesse W. Beams at the University of Virginia and Harold Urey at Columbia University, received much of the early isotope separation funding.

Another possible method of separating the uranium isotopes was gaseous diffusion. Based on the well-known principle that molecules of a lighter isotope would pass through a porous barrier more readily than molecules of a heavier one, this approach proposed to produce by myriad repetitions a gas increasingly rich in uranium-235 as the heavier uranium-238 was separated out in a system of cascades. Theoretically, this process could achieve high concentrations of uranium-235 but would be extremely costly. British researchers led the way on gaseous diffusion, with John R. Dunning, Urey, and their colleagues at Columbia University joining the effort in late 1940.

Of several other separation methods that scientists considered in the spring and summer of 1940, liquid thermal diffusion was the most significant. This process was being investigated by the Carnegie Institution’s Philip Abelson, working at the National Bureau of Standards where the facilities were better. Into the space between two concentric vertical pipes, Abelson placed pressurized liquid uranium hexafluoride. With the outer wall cooled by a circulating water jacket and the inner heated by high-pressure steam, the lighter isotope tended to concentrate near the hot wall and the heavier near the cold. Convection would in time carry the lighter isotope to the top of the column.

In June 1940, the President transferred the Uranium Committee to the newly-created National Defense Research Committee (NDRC). Roosevelt appointed Vannevar Bush (right), president of the Carnegie Foundaton, to head the NDRC. Bush reorganized the Uranium Committee into a scientific body and eliminated military membership. Not dependent on the military for funds, as the Uranium Committee had been, the NDRC would have more influence and more direct access to money for nuclear research. In the interest of security, Bush barred foreign-born scientists from committee membership and blocked the further publication of articles on uranium research. Retaining programmatic responsibilities for uranium research in the new organizational setup, the Uranium Committee recommended that all four isotope separation methods e a chain reaction work continue to receive funding for the remainder of 1940. Bush approved the plan and allocated the funds. All possible paths to the bomb would continue to be pursued until the best route was found.

Anterior Próximo


Assista o vídeo: Destaque do dia - 14 de Dezembro de 1939 (Novembro 2021).