Podcasts de história

1951 - Primeiro Computador Eletrônico Univac - História

1951 - Primeiro Computador Eletrônico Univac - História

(14/06/51) A Remington Rand Corporation revelou o primeiro computador digital comercial, denominado "UNIVAC" (Computador Automático Universal). O "UNIVAC" seguia o "ENIAC" experimental, desenvolvido em 1945. O primeiro "UNIVAC" foi vendido ao Censo.


John Presper Eckert e John Mauchly estudaram na Moore School of Engineering, mas saíram para iniciar seu próprio negócio de computadores. Eles receberam seu primeiro contrato do United States Census Bureau. A Repartição vinha usando computadores mecânicos para tabular o censo, mas com o aumento da população precisa de uma solução melhor. Eles receberam um depósito do bureau do censo para pesquisar o novo computador em 1946 de $ 300.000. Demorou dois anos para finalizar o design do computador. O censo limitou o pagamento do computador em US $ 400.000. Os inventores sabiam que não seria suficiente, mas esperavam recuperar o prejuízo nos contratos de serviço. A Remington Rand socorreu os inventores e comprou a empresa que se tornou a Divisão Univac da Remington Rand. O primeiro computador UNIVAC foi entregue ao Census Bureau em 31 de março de 1951. A empresa gastou US $ 1 milhão no desenvolvimento da máquina.

O primeiro UNIVAC poderia adicionar 120 microssegundos, multiplicar em 1.8000 microssegundos e dividir em 3.600 microssegundos.


ENIAC

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

ENIAC, na íntegra Integrador Numérico Eletrônico e Computador, o primeiro computador digital eletrônico programável de uso geral, construído durante a Segunda Guerra Mundial pelos Estados Unidos. O físico americano John Mauchly, o engenheiro americano J. Presper Eckert Jr. e seus colegas da Moore School of Electrical Engineering da Universidade da Pensilvânia lideraram um projeto financiado pelo governo para construir um computador totalmente eletrônico. Sob contrato com o exército e sob a direção de Herman Goldstine, o trabalho começou no início de 1943 no ENIAC. No ano seguinte, o matemático John von Neumann iniciou consultas frequentes com o grupo.

O ENIAC era algo menos do que o sonho de um computador universal. Projetado especificamente para calcular valores para tabelas de alcance de artilharia, faltava alguns recursos que o tornariam uma máquina mais útil em geral. Utilizava plugboards para comunicar instruções à máquina, tendo a vantagem de que, uma vez as instruções assim “programadas”, a máquina funcionava em velocidade eletrônica. As instruções lidas de um leitor de cartão ou outro dispositivo mecânico lento não seriam capazes de acompanhar o ENIAC totalmente eletrônico. A desvantagem era que demorava dias para religar a máquina para cada novo problema. Era uma responsabilidade tão grande que somente com alguma generosidade poderia ser chamada de programável.

No entanto, o ENIAC foi o dispositivo de cálculo mais poderoso construído até hoje. Foi o primeiro computador digital eletrônico programável de uso geral. Como a Máquina Analítica de Charles Babbage (do século 19) e o computador britânico Colossus da Segunda Guerra Mundial, ela tinha ramificação condicional, ou seja, podia executar instruções diferentes ou alterar a ordem de execução de instruções com base no valor de alguns dados. (Por exemplo, IF X & gt5 ENTÃO IR PARA A LINHA 23). Isso deu ao ENIAC muita flexibilidade e significava que, embora tenha sido construído para um propósito específico, poderia ser usado para uma gama mais ampla de problemas.

O ENIAC era enorme. Ele ocupou o porão de 50 por 30 pés (15 por 9 metros) da Escola Moore, onde seus 40 painéis foram dispostos, em forma de U, ao longo de três paredes. Cada painel tinha cerca de 2 pés de largura por 2 pés de profundidade por 8 pés de altura (0,6 metros por 0,6 metros por 2,4 metros). Com mais de 17.000 tubos de vácuo, 70.000 resistores, 10.000 capacitores, 6.000 interruptores e 1.500 relés, foi facilmente o sistema eletrônico mais complexo construído até então. O ENIAC funcionava continuamente (em parte para estender a vida útil do tubo), gerando 174 quilowatts de calor e, portanto, exigindo seu próprio sistema de ar condicionado. Ele podia executar até 5.000 adições por segundo, várias ordens de magnitude mais rápido do que seus predecessores eletromecânicos. Ele e os computadores subsequentes que utilizam tubos de vácuo são conhecidos como computadores de primeira geração. (Com 1.500 relés mecânicos, o ENIAC ainda estava em transição para computadores posteriores, totalmente eletrônicos.)


A história por trás do primeiro computador comercial da América

Exatamente 65 anos atrás, em 31 de março de 1951, o U.S. Census Bureau assinou um contrato para o primeiro computador comercial dos EUA e, assim, entrou em uma nova era. Quando UNIVAC & mdash, o Universal Automatic Computer & mdash foi inaugurado alguns meses depois, o New York Vezes chamada de máquina & # 8220 um gênio matemático de 2,5 metros de altura & # 8221 que poderia em um sexto de um segundo & # 8220 classificar um cidadão médio quanto ao sexo, estado civil, educação, residência, faixa etária, local de nascimento, emprego, renda e um uma dúzia de outras classificações. & # 8221

Até então, os dados do Bureau & # 8217s eram tratados com a ajuda de uma máquina de contagem elétrica desenvolvida para o censo de 1890. Os avanços na tecnologia da computação durante a Segunda Guerra Mundial proporcionaram velocidades de processamento mais rápidas e o desenvolvimento de mdasha de particular interesse para o Census Bureau, dado o volume de dados associados à contagem regular da população dos EUA.

UNIVAC foi projetado por J. Presper Eckert e John W. Mauchly. Durante a guerra, eles projetaram o ENIAC, um computador de uso geral em grande escala, na Universidade da Pensilvânia. Em 1946, a dupla deixou a universidade para iniciar um empreendimento comercial e assinou um contrato com o National Bureau of Standards para estudar o que seria necessário para um computador para o Bureau of the Census. O estudo, originalmente previsto para durar seis meses, levou mais tempo do que o esperado e Eckert e Mauchly não começaram a construir a máquina até 1948. Sua habilidade em estimar custos estava muito aquém de sua habilidade como engenheiros, e em 1950 eles venderam sua empresa em dificuldades para Remington Rand, fabricante de máquinas comerciais. Eckert e Mauchly continuaram seu trabalho no UNIVAC, agora como uma divisão da Remington Rand.

A TIME explicou a promessa do UNIVAC ainda não lançado em novembro de 1950:

Allen N. Scares, vice-presidente e gerente geral da Remington Rand, Inc., falou sobre uma máquina, UNIVAC, fabricada por sua empresa, que pode fazer a maioria das tarefas numéricas agora realizadas por funcionários de carne e sangue & # 8230 UNIVAC pode calcular um folha de pagamento complicada para 10.000 funcionários em apenas 40 minutos. Quantos funcionários o UNIVAC substituiria Scares não disse. Ele estava confiante de que Remington Rand não havia criado um & # 8220Frankenstein [monstro] que pode se voltar contra nós e destruir as próprias fundações de nossa sociedade. A história tem demonstrado que existe um bem supremo em cada ferramenta nova. . . A aceitação é gradual à medida que a nova ferramenta prova o seu valor. Nunca ocorreu como uma mudança repentina. & # 8221

UNIVAC era um computador com programa armazenado que tinha 5.400 tubos de vácuo, podia tabular 4.000 itens por minuto, usava caracteres alfanuméricos, verificava seu próprio trabalho e tinha a metade do tamanho do ENIAC & mdasha então - minúsculo 14 pés de comprimento, 7,5 pés de largura e 8 pés de altura.

No final de março de 1951, o UNIVAC passou por uma série de testes para confirmar para o Census Bureau se realmente funcionaria conforme o esperado. Os testes, descritos na American Mathematical Society & # 8217s julho de 1951 Tabelas matemáticas e outras ajudas para Computação, confirmou a confiabilidade de seus comandos, sua capacidade de converter informações de cartões perfurados em fita magnética, sua habilidade de reimprimir grandes quantidades de informações sem erros e seu desempenho geral.

Tendo passado nesses testes, o Census Bureau o colocou para funcionar, primeiro em algumas seções do censo de 1950 e depois em todo o censo econômico de 1954. Doze anos depois, o UNIVAC foi dado ao Smithsonian e substituído por máquinas mais novas. o Vezes intitulou sua aposentadoria assim: & # 8220Automation reivindica outro emprego. & # 8221


Os primeiros sistemas de computador usavam tubos de vácuo para circuitos e tambores magnéticos para memória, e muitas vezes eram enormes, ocupando salas inteiras. A operação desses computadores era muito cara e, além de consumirem muita eletricidade, os primeiros computadores geravam muito calor, o que costumava ser a causa de mau funcionamento.

Os computadores da primeira geração se baseavam na linguagem de máquina, a linguagem de programação de nível mais baixo entendida por computadores, para realizar operações e só podiam resolver um problema por vez. Os operadores levariam dias ou até semanas para configurar um novo problema. A entrada era baseada em cartões perfurados e fita de papel, e a saída era exibida nas impressões.

Os computadores UNIVAC e ENIAC são exemplos de dispositivos de computação de primeira geração. O UNIVAC foi o primeiro computador comercial entregue a um cliente empresarial, o U.S. Census Bureau, em 1951.


Dez principais coisas a não fazer na dedicação do UNIVAC, o primeiro computador digital eletrônico produzido comercialmente em 1951

Esta semana marca o aniversário da inauguração em 1951 do UNIVAC, o primeiro computador digital eletrônico produzido comercialmente. O computador foi projetado e construído para o Census Bureau. Os engenheiros que desenvolveram o UNIVAC, J. Presper Eckert e John Mauchly venderam sua empresa para a Remington Rand em 1950, antes do lançamento. Se você quer ir e fazer parte da dedicação, leve esta lista com você. Todos nós sabemos que devemos ser cautelosos ao viajar no tempo para evitar quaisquer rupturas no continuum do tempo.

Dez principais coisas a não fazer na dedicação do computador UNIVAC em 1951.

10 Se você for, não faça comentários sobre o tamanho do computador. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses, ninguém prestará atenção em você. Na pior das hipóteses, você é ouvido por Eckert. (Sim, a máquina é enorme, Lancelot. Ela pesa 16.000 libras, mas Eckert parece um pouco chateado, pois este modelo tem cerca de um quarto do tamanho do anterior. Acho que você pode se desculpar rapidamente.)

9 Se você for, não tente ensinar a Tiny, o campeão do WWF, nenhuma linguagem de programação. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses, ele pensará que você está brincando. Na pior das hipóteses, Tiny perceberá que não pode ser ensinado. (Você tem um pequeno problema, Landry. Veja, Tiny foi condenado pelo tribunal a participar de sessões de grupo de autoestima. A última sessão fez com que ele soubesse que estava bem. Suas tentativas de explicar a programação básica acabaram de defini-lo quatro anos atrás. Ele está procurando alguém para culpar. Aponte para John Mauchly rapidamente.)

8 Se você for, não zombe quando J Presper Eckert se gabar da capacidade da máquina de executar 1905 instruções por segundo. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses, ele pensará que você está com febre do feno. Na pior das hipóteses, ele chamará você para explicar sua zombaria. (Você está no local agora, X. Veja quando você zomba de saber que seu iPhone pode fazer 3,2 bilhões de instruções por segundo, você terá dificuldade em explicar como sair desta. Talvez você deva apenas admitir que está com febre do feno.)

7 Se você for, não faça piadas sobre o calor dos 5.000 tubos de vácuo. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses, um ou dois podem entender a piada. Na pior das hipóteses, John Mauchly pedirá que você pegue seu palito de marshmallow e saia do local. (Agora você o deixou com raiva, Langley. Claro, ele não sabe que os transistores estariam disponíveis em cinco anos. Se soubesse, pensaria que você é um gênio em vez de acabar de cabeça para baixo no beco.)

6 Se você for, não leve seu iPad. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses, as pessoas pensarão que é uma prancheta. Na pior das hipóteses, J Presper Eckert irá localizá-lo fazendo alguns cálculos sobre ele. (Não se preocupe, Laochailan. Basta clicar em ocultar a tela e mostrar a ele o protetor de tela da área de transferência. Ele nunca saberá.)

5 Se você for, não pergunte a Eckert sobre entradas de cartão perfurado. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses, ele ficará lisonjeado, pois não há nenhum. Na pior das hipóteses, ele ficará insultado, já que ele e Mauchly trabalharam duro para fazer um sistema de entrada eletrônica digital sem a necessidade de cartões perfurados. (Agora você tem Eckert gritando com você, Laramie. Ele acha que você é um fã de cartões perfurados e burro demais para reconhecer sua conquista. Basta dizer a ele que você estava brincando e colocar a cadeira de volta debaixo da mesa.)

4 Se você for, não peça para falar com alguém do departamento de ciência da computação. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses ninguém estará disponível por semanas. Na pior das hipóteses, você falará com uma pessoa que falará um idioma diferente. (Não se preocupe, Largo. Aqui está uma referência útil para falar com o pessoal da ciência da computação. Existem três colunas e vinte linhas de palavras. Tudo o que você precisa fazer é escolher uma palavra de uma coluna e adicioná-la a outra palavra na próxima coluna e, finalmente, acrescente a uma terceira palavra. Coloque tudo em uma frase e você está pronto para começar. Por exemplo. & # 8220 Vocês podem integrar terminais bipolares e publicar um relatório sobre os resultados? & # 8221 O cara vai digamos que ele investigará, mas ficará totalmente impressionado.)

3 Se você for, não mencione a IBM em torno de ninguém na sala. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses, você estará perto do servidor de café. Na pior das hipóteses, você será considerado um espião. (Bem, Larue, como se sente sentado aqui com as cascas de ovo?)

2 Se você for, não pergunte a Eckert se o computador pode prever as eleições presidenciais. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses, ele rirá. Na pior das hipóteses, ele vai querer saber de onde você conseguiu as informações sobre seu projeto secreto de estimação. (Claro, Laszlo, você não leu sua história. Você não percebeu que o UNIVAC surpreendeu o mundo ao prever o resultado da eleição da vitória esmagadora de Dwight D. Eisenhower em novembro de 1952. Agora você tem muitas explicações pendência.)

1 Se você for, não pergunte a Eckert e Mauchly por que eles venderam sua empresa para a Remington Rand. Se você fizer isso, na melhor das hipóteses, ambos estarão conversando com outra pessoa e não o ouvirão. Na pior das hipóteses, eles vão ajudá-lo com o aliado, que parece que foi sua casa longe de casa. (O problema é que Lathan esses caras são engenheiros incríveis, mas empresários horríveis. Eles tiveram a sorte de ver antes de irem à falência.)


Conteúdo

O uso de amplificadores de válvula de vácuo com acoplamento cruzado para produzir uma seqüência de pulsos foi descrito por Eccles e Jordan em 1918. Esse circuito se tornou a base do flip-flop, um circuito com dois estados que se tornou o elemento fundamental dos computadores digitais binários eletrônicos .

O computador Atanasoff-Berry, um protótipo do qual foi demonstrado pela primeira vez em 1939, é agora creditado como o primeiro computador a tubo de vácuo. [1] No entanto, não era um computador de uso geral capaz de resolver apenas um sistema de equações lineares e também não era muito confiável.

Durante a Segunda Guerra Mundial, computadores digitais com tubo de vácuo de propósito especial, como o Colossus, foram usados ​​para decifrar cifras alemãs e japonesas. A inteligência militar reunida por esses sistemas foi essencial para o esforço de guerra dos Aliados. Cada Colossus usava entre 1.600 e 2.400 tubos de vácuo. [1] A existência da máquina foi mantida em segredo e o público desconhecia sua aplicação até a década de 1970. [1]

Também durante a guerra, computadores binários eletromecânicos estavam sendo desenvolvidos por Konrad Zuse. O estabelecimento militar alemão durante a guerra não priorizou o desenvolvimento de computadores. Um circuito de computador eletrônico experimental com cerca de 100 tubos foi desenvolvido em 1942, mas destruído em um ataque aéreo.

Nos Estados Unidos, o trabalho começou no computador ENIAC no final da Segunda Guerra Mundial. A máquina foi concluída em 1945. Embora uma das aplicações que motivou seu desenvolvimento tenha sido a produção de mesas de tiro para artilharia, um dos primeiros usos do ENIAC foi realizar cálculos relacionados ao desenvolvimento de uma bomba de hidrogênio. ENIAC foi programado com plugboards e interruptores em vez de um programa armazenado eletronicamente. Uma série de palestras pós-guerra divulgando o design do ENIAC e um relatório de John von Neumann sobre um sucessor previsível do ENIAC, o primeiro esboço de um relatório sobre o EDVAC, foram amplamente distribuídas e tiveram influência no design do vácuo do pós-guerra computadores de tubo.

O Ferranti Mark 1 (1951) é considerado o primeiro computador de tubo de vácuo comercial. O primeiro computador produzido em massa foi o IBM 650 (1953).

A tecnologia de tubo de vácuo exigia uma grande quantidade de eletricidade. O computador ENIAC (1946) tinha mais de 17.000 tubos e sofreu uma falha de tubo (que levaria 15 minutos para localizar) em média a cada dois dias. Em operação, o ENIAC consumiu 150 quilowatts de energia, [2] dos quais 80 quilowatts foram usados ​​para tubos de aquecimento, 45 quilowatts para fontes de alimentação CC, 20 quilowatts para ventiladores e 5 quilowatts para equipamentos auxiliares de cartão perfurado.

Como a falha de qualquer um dos milhares de tubos em um computador poderia resultar em erros, a confiabilidade dos tubos era de grande importância. Tubos de qualidade especial foram construídos para serviços de informática, com padrões mais elevados de materiais, inspeção e testes do que os tubos de recebimento padrão.

Um efeito da operação digital que raramente apareceu em circuitos analógicos foi o envenenamento do cátodo. Tubos de vácuo que operavam por intervalos estendidos sem corrente de placa desenvolveriam uma camada de alta resistividade nos cátodos, reduzindo o ganho do tubo. Materiais especialmente selecionados foram necessários para tubos de computador para evitar esse efeito. Para evitar tensões mecânicas associadas ao aquecimento dos tubos até a temperatura de operação, muitas vezes os aquecedores de tubos tinham sua tensão operacional total aplicada lentamente, durante um minuto ou mais, para evitar fraturas relacionadas ao estresse dos aquecedores de cátodo. A energia do aquecedor pode ser deixada ligada durante o tempo de espera da máquina, com a alimentação da placa de alta tensão desligada. O teste marginal foi construído em subsistemas de um computador de tubo a vácuo, diminuindo as tensões da placa ou do aquecedor e testando a operação adequada, componentes com risco de falha precoce podem ser detectados. Para regular todas as tensões de fornecimento de energia e evitar que surtos e quedas na rede elétrica afetem a operação do computador, a energia foi derivada de um grupo motor-gerador que melhorou a estabilidade e a regulação das tensões de fornecimento de energia. [ citação necessária ]

Dois grandes tipos de circuitos lógicos foram usados ​​na construção de computadores de tubo a vácuo. O tipo "assíncrono" ou direto acoplado a CC usava apenas resistores para conectar as portas lógicas e dentro das próprias portas. Os níveis lógicos foram representados por duas tensões amplamente separadas. No tipo de lógica "síncrono" ou "pulso dinâmico", cada estágio era acoplado por redes de pulsos, como transformadores ou capacitores. Cada elemento lógico teve um pulso de "clock" aplicado. Os estados lógicos foram representados pela presença ou ausência de pulsos durante cada intervalo de clock. Projetos assíncronos potencialmente poderiam operar mais rápido, mas exigiam mais circuitos para proteção contra "corridas" lógicas, pois diferentes caminhos lógicos teriam diferentes tempos de propagação da entrada à saída estável. Os sistemas síncronos evitavam esse problema, mas precisavam de circuitos extras para distribuir um sinal de clock, que pode ter várias fases para cada estágio da máquina. Os estágios lógicos de acoplamento direto eram um tanto sensíveis a desvios nos valores dos componentes ou pequenas correntes de fuga, mas a natureza binária da operação deu aos circuitos uma margem considerável contra mau funcionamento devido ao desvio. [3] Um exemplo de computação de "pulso" (síncrono) foi o MIT Whirlwind. Os computadores IAS (ILLIAC e outros) usavam estágios lógicos de acoplamento direto assíncrono.

Os computadores de tubo usavam principalmente triodos e pentodos como elementos de comutação e amplificação. Pelo menos um tubo de passagem especialmente projetado tinha duas grades de controle com características semelhantes, o que permitiu implementar diretamente uma porta AND de duas entradas. [3] Thyratrons às vezes eram usados, como para direcionar dispositivos de E / S ou para simplificar o projeto de travas e registros de retenção. Freqüentemente, os computadores de válvula a vácuo faziam uso extensivo de diodos de estado sólido ("cristal") para realizar funções lógicas AND e OR, e usavam apenas válvulas a vácuo para amplificar sinais entre estágios ou para construir elementos como flip-flops, contadores e registradores. Os diodos de estado sólido reduziram o tamanho e o consumo de energia da máquina em geral.

Os primeiros sistemas usavam uma variedade de tecnologias de memória antes de finalmente se estabelecerem na memória de núcleo magnético. O computador Atanasoff-Berry de 1942 armazenava valores numéricos como números binários em um tambor mecânico giratório, com um circuito especial para atualizar essa memória "dinâmica" em cada revolução. O ENIAC de tempo de guerra podia armazenar 20 números, mas os registros de tubo de vácuo usados ​​eram muito caros para serem construídos para armazenar mais do que alguns números. Um computador com programa armazenado estava fora de alcance até que uma forma econômica de memória pudesse ser desenvolvida. Maurice Wilkes construiu o EDSAC em 1947, que tinha uma memória de linha de atraso de mercúrio que podia armazenar 32 palavras de 17 bits cada. Como a memória da linha de atraso era inerentemente organizada em série, a lógica da máquina também era bit-serial. [4]

A memória de linha de atraso de mercúrio foi usada por J. Presper Eckert no EDVAC e UNIVAC I. Eckert e John Mauchly receberam uma patente para a memória de linha de atraso em 1953. Bits em uma linha de atraso são armazenados como ondas sonoras no meio, que viajam em um taxa constante. O UNIVAC I (1951) usava sete unidades de memória, cada uma contendo 18 colunas de mercúrio, armazenando 120 bits cada. Isso forneceu uma memória de 1000 palavras de 12 caracteres com um tempo médio de acesso de 300 microssegundos. [5] Este subsistema de memória formou sua própria sala de entrada.

Os tubos Williams foram o primeiro dispositivo de memória de acesso aleatório verdadeiro. O tubo de Williams exibe uma grade de pontos em um tubo de raios catódicos (CRT), criando uma pequena carga de eletricidade estática sobre cada ponto. A carga na localização de cada um dos pontos é lida por uma fina folha de metal na frente do visor. Frederic Calland Williams e Tom Kilburn solicitaram patentes para o Williams Tube em 1946. O Williams Tube era muito mais rápido do que a linha de atraso, mas apresentava problemas de confiabilidade. O UNIVAC 1103 usava 36 Tubos Williams com capacidade de 1024 bits cada, dando uma memória de acesso aleatório total de 1024 palavras de 36 bits cada. O tempo de acesso à memória Williams Tube no IBM 701 foi de 30 microssegundos. [5]

A memória de tambor magnético foi inventada em 1932 por Gustav Tauschek na Áustria. [6] [7] Um tambor consistia em um grande cilindro de metal de rotação rápida revestido com um material de gravação ferromagnético. A maioria dos tambores tinha uma ou mais fileiras de cabeças fixas de leitura e gravação ao longo do eixo longo do tambor para cada faixa. O controlador de bateria selecionou o cabeçote adequado e esperou que os dados aparecessem embaixo dele enquanto o tambor girava. O IBM 650 tinha uma memória de tambor de 1000 a 4000 palavras de 10 dígitos com um tempo médio de acesso de 2,5 milissegundos.

A memória de núcleo magnético foi patenteada por An Wang em 1951. O núcleo usa pequenos núcleos de anel magnético, através dos quais fios são enfiados para escrever e ler informações. Cada núcleo representa um bit de informação. Os núcleos podem ser magnetizados de duas maneiras diferentes (sentido horário ou anti-horário) e o bit armazenado em um núcleo é zero ou um, dependendo da direção de magnetização desse núcleo. Os fios permitem que um núcleo individual seja definido como um ou zero e que sua magnetização seja alterada enviando pulsos de corrente elétrica apropriados através dos fios selecionados. A memória de núcleo oferece acesso aleatório e maior velocidade, além de uma confiabilidade muito maior. Ele foi rapidamente colocado em uso em computadores como o MIT / IBM Whirlwind, onde 1024 palavras de memória de 16 bits iniciais foram instaladas em substituição aos tubos Williams. Da mesma forma, o UNIVAC 1103 foi atualizado para o 1103A em 1956, com a memória central substituindo os tubos Williams. A memória central usada no 1103 tinha um tempo de acesso de 10 microssegundos. [5]


UNIVAC

UNIVAC, o Computador Automático UNIVersal, foi o primeiro computador construído para uso comercial geral e usava fita magnética, em vez de cartões perfurados, para inserir e armazenar dados.

John Presper Eckert e John Mauchly começaram o desenvolvimento do UNIVAC em abril de 1946. Eckert e Mauchly faziam parte de um grupo de cientistas e matemáticos que criaram sistemas de computador para os Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. Seu integrador eletrônico e numérico baseado em cartão perfurado e computador (ENIAC) ajudou os militares a melhorar a precisão de seu fogo de artilharia.

Após a guerra, Eckert e Mauchly tentaram comercializar essa tecnologia, mas seu empregador, a Universidade da Pensilvânia, hesitou. A universidade ofereceu a posse à dupla em troca da liberação das patentes do ENIAC. Eles recusaram e deixaram a academia em 1946, abrindo uma empresa que se tornaria a Eckert-Mauchly Computer Corporation.

Eckert e Mauchly desenvolveram o UNIVAC durante os cinco anos seguintes sob contrato com o Bureau do Censo dos Estados Unidos. Ele buscou uma forma mais eficiente de processar milhões de dados. Uma série de atrasos e estouros de custos levaram a problemas financeiros na empresa incipiente e, em outubro de 1949, o presidente da empresa, Harry L. Straus, morreu em um acidente de avião. Em 1950, a empresa de Eckert e Mauchly foi vendida para o fabricante de máquinas de escrever Remington Rand, que tinha sua própria divisão de máquinas de calcular sob a direção do ex-Diretor de Projetos de Manhattan, Leslie Groves.

Operando dentro da Remington Rand, o grupo de Eckert e Mauchly conseguiu concluir o projeto e entregou o primeiro UNIVAC ao Census Bureau em 31 de março de 1951. Essa conquista veio apesar do desinteresse da Remington no projeto - como seus rivais na IBM, eles permaneceram fiéis apoiadores da tecnologia tradicional de cartões perfurados - e hostilidade para com Mauchly, que eles acreditavam ser um simpatizante do comunismo, e as programadoras, incluindo Grace Hopper, que liderou o projeto.

A velocidade do UNIVAC ofuscou todos os seus concorrentes - era milhares de vezes mais rápido do que seus rivais - mas, mais importante, estava entre os primeiros computadores de "programa armazenado", usando fita magnética, em vez de cartões perfurados, para coletar e gerenciar dados. Até um milhão de caracteres podem ser armazenados e acessados ​​em fita magnética. Um operador não precisava carregar os dados na máquina toda vez que desejasse fazer um cálculo, o UNIVAC poderia acessar os dados armazenados em sua fita magnética.

As máquinas UNIVAC logo foram equiparadas ao futuro da computação na mente do público, graças a um golpe publicitário na eleição presidencial de 1952 nos Estados Unidos. A Remington Rand montou uma equipe UNIVAC em sua fábrica na Filadélfia para monitorar e prever o resultado da corrida, que as pesquisas projetaram ser muito próxima. O computador, no entanto, previu um deslizamento de terra em Eisenhower no início da noite. Jornalistas da rede de televisão CBS duvidaram desse resultado e se recusaram a anunciá-lo até muito tarde da noite.

Em última análise, a divisão UNIVAC da Remington Rand provou ser incapaz de acompanhar a demanda dos clientes por esses sistemas grandes e caros e não conseguiu vencer a IBM na obtenção de um contrato militar crítico para projetar a rede de defesa do Meio-Ambiente Terrestre Semiautomático (SAGE). A IBM conseguiu o contrato e o acesso resultante à pesquisa classificada da equipe "Project Whirlwind" do MIT em tecnologias de ponta, como memória de núcleo magnético de acesso aleatório. Ao final do projeto SAGE, a IBM tinha uma clara vantagem na produção de sistemas de computador, tornando o UNIVAC obsoleto. Em 1955, a Remington Rand se fundiu com a Sperry. A Sperry Rand continuou a fazer as gerações subsequentes do UNIVAC, mas ficou em segundo plano em relação a seus concorrentes maiores.


As datas em vermelho são da linha do tempo básica de eventos relacionados a & quotO Grande Ímã, a Terra & quot.
As datas em preto são da história da sociedade, da ciência e da tecnologia e têm o objetivo de fornecer um contexto mais amplo para as datas da lista básica.
Para uma linha do tempo da exploração do ambiente magnético distante
da Terra, Sol e Planetas, veja aqui.

  • 13.000-11.000 aC --- Estimativa da chegada de humanos na América (provavelmente auxiliados por roupas e fogo, se eles vieram pelo Alasca).
  • 10.000 aC --- fim aproximado da última era do gelo.
  • 3000 aC - início da idade do bronze, batizada com o nome da primeira liga de metal útil.
  • 2700-2300 aC --- Pirâmides construídas no Egito. Os primeiros grandes estados e culturas prosperam nos vales dos rios Nilo, Eufrates e Indo.
    Os egípcios inventam a escrita de hieróglifos, usam papiro (papel bruto).
    As culturas do Eufrates escrevem na argila úmida (depois seca), usando marcas da ponta de um tarugo.
  • 1400 aC (aproximadamente) --- Ferro produzido pela primeira vez pelos hititas, no que hoje é a Turquia.
  • 1200 aC (aproximadamente) --- Guerra de Tróia. & quotIlíada & quot e & quotOdisseia & quot provavelmente escritos no século que se seguiu.

  • 1000-1400 Idade dos senhores feudais na Europa: castelos, cavaleiros, fervor religioso, apenas ciência e tecnologia muito rudimentares. Também era da era dos vikings, alguns dos quais navegaram até a Groenlândia e a América. Os mongóis invadem e subjugam o sul da Rússia.
  • 1095-1291 Cruzadas
  • 1460 Johann Gutenberg inventa a imprensa com tipos móveis. Combinado com o papel (uma invenção chinesa que gradualmente alcançou a Europa e deslocou o pergaminho), o livro impresso é a principal força por trás de um surto de crescimento cultural e técnico, o Renascimento (francês para & quotrebirth & quot).
  • 1492 Colombo descobre a América, seguido por exploradores espanhóis (e alguns portugueses). As principais potências na Europa são Espanha, França, Inglaterra, Turquia e uma confederação de príncipes alemães (& quotHoly Roman Empire. & Quot)
  • 1543 --- Nicolaus Copernicus (1473-1543) publica sua teoria do sistema solar.
  • 1582 --- Papa Gregório 13 reforma o calendário.
  • 1588 A "Armada Espanhola", uma frota que ataca a Grã-Bretanha, é destruída pela marinha britânica e por tempestades. Pela primeira vez, a Grã-Bretanha pode reivindicar parte do continente americano.
  • A Europa e a Ásia são apresentadas às safras americanas - batata, tomate, milho. A dieta da Europa também é gradualmente enriquecida por açúcar, laranja e pimenta, originários da Índia.
  • 1609 --- Galileo Galilei (1564-1642) constrói o primeiro telescópio astronômico e observa pela primeira vez crateras na Lua, satélites ao redor de Júpiter e a maneira como Vênus passa por fases como a Lua (crescente, etc.).

  • 1683 --- O exército turco chega a Viena, mas é repelido pelo espólio, os vencedores descobrem o café, desenvolvem o gosto por ele. Os ingleses começam a fumar tabaco, uma planta americana.
  • 1686 --- Isaac Newton (1642-1727) publica "Philosophie Naturalis Principia Mathematica", delineando as leis da mecânica e a lei da gravidade


História dos computadores: uma breve linha do tempo

O computador nasceu não para entretenimento ou e-mail, mas pela necessidade de resolver uma grave crise de processamento de números. Em 1880, a população dos EUA havia crescido tanto que levou mais de sete anos para tabular os resultados do Censo dos EUA. O governo buscou uma maneira mais rápida de fazer o trabalho, dando origem a computadores baseados em cartões perfurados que ocupavam salas inteiras.

Hoje, carregamos mais poder de computação em nossos smartphones do que estava disponível nos primeiros modelos. A breve história da computação a seguir é uma linha do tempo de como os computadores evoluíram de suas origens humildes às máquinas de hoje que navegam na Internet, jogam e reproduzem multimídia, além de processar números.

1801: Na França, Joseph Marie Jacquard inventa um tear que usa cartões de madeira perfurados para tecer desenhos de tecido automaticamente. Os primeiros computadores usavam cartões perfurados semelhantes.

1822: O matemático inglês Charles Babbage concebe uma máquina de calcular movida a vapor que seria capaz de calcular tabelas de números. O projeto, financiado pelo governo inglês, é um fracasso. Mais de um século depois, no entanto, o primeiro computador do mundo foi realmente construído.

1890: Herman Hollerith designs a punch card system to calculate the 1880 census, accomplishing the task in just three years and saving the government $5 million. He establishes a company that would ultimately become IBM.

1936: Alan Turing presents the notion of a universal machine, later called the Turing machine, capable of computing anything that is computable. The central concept of the modern computer was based on his ideas.

1937: J.V. Atanasoff, a professor of physics and mathematics at Iowa State University, attempts to build the first computer without gears, cams, belts or shafts.

1939: Hewlett-Packard is founded by David Packard and Bill Hewlett in a Palo Alto, California, garage, according to the Computer History Museum.

1941: Atanasoff and his graduate student, Clifford Berry, design a computer that can solve 29 equations simultaneously. This marks the first time a computer is able to store information on its main memory.

1943-1944: Two University of Pennsylvania professors, John Mauchly and J. Presper Eckert, build the Electronic Numerical Integrator and Calculator (ENIAC). Considered the grandfather of digital computers, it fills a 20-foot by 40-foot room and has 18,000 vacuum tubes.

1946: Mauchly and Presper leave the University of Pennsylvania and receive funding from the Census Bureau to build the UNIVAC, the first commercial computer for business and government applications.

1947: William Shockley, John Bardeen and Walter Brattain of Bell Laboratories invent the transistor. They discovered how to make an electric switch with solid materials and no need for a vacuum.

1953: Grace Hopper develops the first computer language, which eventually becomes known as COBOL. Thomas Johnson Watson Jr., son of IBM CEO Thomas Johnson Watson Sr., conceives the IBM 701 EDPM to help the United Nations keep tabs on Korea during the war.

1954: The FORTRAN programming language, an acronym for FORmula TRANslation, is developed by a team of programmers at IBM led by John Backus, according to the University of Michigan.

1958: Jack Kilby and Robert Noyce unveil the integrated circuit, known as the computer chip. Kilby was awarded the Nobel Prize in Physics in 2000 for his work.

1964: Douglas Engelbart shows a prototype of the modern computer, with a mouse and a graphical user interface (GUI). This marks the evolution of the computer from a specialized machine for scientists and mathematicians to technology that is more accessible to the general public.

1969: A group of developers at Bell Labs produce UNIX, an operating system that addressed compatibility issues. Written in the C programming language, UNIX was portable across multiple platforms and became the operating system of choice among mainframes at large companies and government entities. Due to the slow nature of the system, it never quite gained traction among home PC users.

1970: The newly formed Intel unveils the Intel 1103, the first Dynamic Access Memory (DRAM) chip.

1971: Alan Shugart leads a team of IBM engineers who invent the "floppy disk," allowing data to be shared among computers.

1973: Robert Metcalfe, a member of the research staff for Xerox, develops Ethernet for connecting multiple computers and other hardware.

1974-1977: A number of personal computers hit the market, including Scelbi & Mark-8 Altair, IBM 5100, Radio Shack's TRS-80 &mdash affectionately known as the "Trash 80" &mdash and the Commodore PET.

1975: The January issue of Popular Electronics magazine features the Altair 8080, described as the "world's first minicomputer kit to rival commercial models." Two "computer geeks," Paul Allen and Bill Gates, offer to write software for the Altair, using the new BASIC language. On April 4, after the success of this first endeavor, the two childhood friends form their own software company, Microsoft.

1976: Steve Jobs and Steve Wozniak start Apple Computers on April Fool's Day and roll out the Apple I, the first computer with a single-circuit board, according to Stanford University.

1977: Radio Shack's initial production run of the TRS-80 was just 3,000. It sold like crazy. For the first time, non-geeks could write programs and make a computer do what they wished.

1977: Jobs and Wozniak incorporate Apple and show the Apple II at the first West Coast Computer Faire. It offers color graphics and incorporates an audio cassette drive for storage.

1978: Accountants rejoice at the introduction of VisiCalc, the first computerized spreadsheet program.

1979: Word processing becomes a reality as MicroPro International releases WordStar. "The defining change was to add margins and word wrap," said creator Rob Barnaby in email to Mike Petrie in 2000. "Additional changes included getting rid of command mode and adding a print function. I was the technical brains &mdash I figured out how to do it, and did it, and documented it. "

1981: The first IBM personal computer, code-named "Acorn," is introduced. It uses Microsoft's MS-DOS operating system. It has an Intel chip, two floppy disks and an optional color monitor. Sears & Roebuck and Computerland sell the machines, marking the first time a computer is available through outside distributors. It also popularizes the term PC.

1983: Apple's Lisa is the first personal computer with a GUI. It also features a drop-down menu and icons. It flops but eventually evolves into the Macintosh. The Gavilan SC is the first portable computer with the familiar flip form factor and the first to be marketed as a "laptop."

1985: Microsoft announces Windows, according to Encyclopedia Britannica. This was the company's response to Apple's GUI. Commodore unveils the Amiga 1000, which features advanced audio and video capabilities.

1985: The first dot-com domain name is registered on March 15, years before the World Wide Web would mark the formal beginning of Internet history. The Symbolics Computer Company, a small Massachusetts computer manufacturer, registers Symbolics.com. More than two years later, only 100 dot-coms had been registered.

1986: Compaq brings the Deskpro 386 to market. Its 32-bit architecture provides as speed comparable to mainframes.

1990: Tim Berners-Lee, a researcher at CERN, the high-energy physics laboratory in Geneva, develops HyperText Markup Language (HTML), giving rise to the World Wide Web.

1993: The Pentium microprocessor advances the use of graphics and music on PCs.

1994: PCs become gaming machines as "Command & Conquer," "Alone in the Dark 2," "Theme Park," "Magic Carpet," "Descent" and "Little Big Adventure" are among the games to hit the market.

1996: Sergey Brin and Larry Page develop the Google search engine at Stanford University.

1997: Microsoft invests $150 million in Apple, which was struggling at the time, ending Apple's court case against Microsoft in which it alleged that Microsoft copied the "look and feel" of its operating system.

1999: The term Wi-Fi becomes part of the computing language and users begin connecting to the Internet without wires.

2001: Apple unveils the Mac OS X operating system, which provides protected memory architecture and pre-emptive multi-tasking, among other benefits. Not to be outdone, Microsoft rolls out Windows XP, which has a significantly redesigned GUI.

2003: The first 64-bit processor, AMD's Athlon 64, becomes available to the consumer market.

2004: Mozilla's Firefox 1.0 challenges Microsoft's Internet Explorer, the dominant Web browser. Facebook, a social networking site, launches.

2005: YouTube, a video sharing service, is founded. Google acquires Android, a Linux-based mobile phone operating system.

2006: Apple introduces the MacBook Pro, its first Intel-based, dual-core mobile computer, as well as an Intel-based iMac. Nintendo's Wii game console hits the market.

2007: The iPhone brings many computer functions to the smartphone.

2009: Microsoft launches Windows 7, which offers the ability to pin applications to the taskbar and advances in touch and handwriting recognition, among other features.

2010: Apple unveils the iPad, changing the way consumers view media and jumpstarting the dormant tablet computer segment.

2011: Google releases the Chromebook, a laptop that runs the Google Chrome OS.

2012: Facebook gains 1 billion users on October 4.

2015: Apple releases the Apple Watch. Microsoft releases Windows 10.

2016: The first reprogrammable quantum computer was created. "Until now, there hasn't been any quantum-computing platform that had the capability to program new algorithms into their system. They're usually each tailored to attack a particular algorithm," said study lead author Shantanu Debnath, a quantum physicist and optical engineer at the University of Maryland, College Park.

2017: The Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) is developing a new "Molecular Informatics" program that uses molecules as computers. "Chemistry offers a rich set of properties that we may be able to harness for rapid, scalable information storage and processing," Anne Fischer, program manager in DARPA's Defense Sciences Office, said in a statement. "Millions of molecules exist, and each molecule has a unique three-dimensional atomic structure as well as variables such as shape, size, or even color. This richness provides a vast design space for exploring novel and multi-value ways to encode and process data beyond the 0s and 1s of current logic-based, digital architectures." [Computers of the Future May Be Minuscule Molecular Machines]

Additional reporting by Alina Bradford, Live Science contributor.


Computer history - 1951

The first business computer, the LEO (Lyons Electronic Office) is completed by T. Raymond Thompson, John Simmons, and their team at Lyons Co.

The first Ferranti MARK 1 or Manchester Electronic Computer was delivered to the Manchester University in February 1951.

The first ISO is published with the title, "Standard reference temperature for industrial length measurement."

The first tape drive introduced by Remington Rand in 1951 and could store 224 KB of data.

The Nimrod computer was displayed in 1951 at the Festival of Britain's Exhibition of Science.

Jay Forrester applies for a patent for magnetic-core memory, an early type of random access memory (RAM) on May 11, 1951.


The History of the Computers

Prehistoric man did not have the Internet, but it appears that he needed a way to count and make calculations. The limitations of the human body’s ten fingers and ten toes apparently caused early man to construct a tool to help with those calculations. Scientists now know that humankind invented an early form of computers. Their clue was a bone carved with prime numbers found in 8,500 BC.

The abacus was the next leap forward in computing between 1000 BC and 500 BD. This apparatus used a series of moveable beads or rocks. The positions changed to enter a number and again to perform mathematical operations. Leonardo DaVinci was credited with the invention of the world’s first mechanical calculator in 1500. In 1642, Blaise Pascal’s adding machine upstaged DaVinci’s marvel and moved computing forward again.

In 19 th century England, Charles Babbage, a mathematician, proposed the construction of a machine that he called the Babbage Difference Engine. It would not only calculate numbers, it would also be capable of printing mathematical tables. The Computer History Museum in Mountain View, CA (near San Diego) built a working replica from the original drawings. Visitors can see in the device in operation there. Unable to construct the actual device, he earned quite a few detractors among England’s literate citizens. However, Babbage made a place for himself in history as the father of computing. Not satisfied with the machines limitations, he drafted plans for the Babbage Analytical Engine. He intended for this computing device to use punch cards as the control mechanism for calculations. This feature would make it possible for his computer to use previously performed calculations in new ones.

Babbage’s idea caught the attention of Ada Byron Lovelace who had an undying passion for math. She also saw possibilities that the Analytical Machine could produce graphics and music. She helped Babbage move his project from idea to reality by documenting how the device would calculate Bernoulli numbers. She later received recognition for writing the world’s first computer program. The United States Department of Defense named a computer language in her honor in 1979.

The computers that followed built on each previous success and improved it. In 1943, the first programmable computer Turing COLOSSUSappeared. It was pressed into service to decipher World War II coded messages from Germany. ENIAC, the brain, was the first electronic computer, in 1946. In 1951, the U.S. Census Bureau became the first government agency to buy a computer, UNIVAC .

The Apple expanded the use of computers to consumers in 1977. The IBM PC for consumers followed closely in 1981, although IBM mainframes were in use by government and corporations.


Assista o vídeo: Eniac O primeiro computador eletrônico (Janeiro 2022).